AMANHÃ É CONTRA O LÍDER

  • por em 7 de outubro de 2021

Bruno Haddad/Cruzeiro/Flickr

De um extremo a outro, o Cruzeiro encara amanhã o Coritiba líder da Série B e um centroavante chato chamado Léo Gamalho. Tirem as crianças da sala, porque o teste agora é pra gente grande. 21h30 no Estádio Couto Pereira, capital paranaense.

Temos mesmo um time em formação? Nosso meio de campo testará positivo pra futebol? O ataque vai mesmo incomodar com eficiência a defesa do Coritiba? Ou teremos aqueles arremessos ridículos pra mandar bola fora de estádio e matar cruzeirense de raiva?

Já é tempo de termos respostas conclusivas. 

De animador, mesmo, é a garimpagem que Luxemburgo faz nas divisões de base. Depois das gratíssimas revelações – Thiago e Vitor Leque – vêm aí Vitor Roque, de 16 anos, já treinando com os profissionais, assim como o lateral direito Riquelmy e o volante Breno, do sub-20. Este é o caminho!

BATE PAPO NO QUINTAL

1. Bernardo, parecendo alguém que acaba de inventar a roda, pergunta: 

“E qual é o coirmão que passou três temporadas na Série B? O América? ”

Meu caro Bernardo, possivelmente não me expliquei bem.  No texto, traçava um paralelo entre o nosso flagelo de agora e o quase meio século de bullying que infringimos ao Atlético. Ato censurável que eu hoje não repetiria. Nenhum outro grande clube passou três temporadas seguidas na Série B. Pra isto voltar a acontecer, daqui a séculos, é preciso ocorrer de novo essa trágica coincidência: primeiro, um tsunami administrativo, em seguida a pandemia mundial impedindo qualquer reação.

2.Leonardo Monteiro pergunta o que planejo, como conselheiro, para os próximos 2 ou 3 anos do Cruzeiro. Um renascer sério, objetivo, depurado, alicerçado nos recursos do Clube Empresa. O empreendimento comercial no Barro Preto enchendo de orgulho a todos que passem na Augusto de Lima, seguem Guajajaras ou descem Araguari. Sinais grandiosos, ali e nos gramados, de que estamos nos reencontrando conosco mesmos. 

Obrigado pelo incentivo. Estaremos às ordens.

3. Jorge, ainda meio ressabiado pelo “efeito-Palmeiras”, vai plantando em seus comentários, aqui e ali, sementes de sua nova criação que certamente levará para o Porta dos Fundos: “Galão Mais Querido do Mundo”. Será que é mesmo? Pernambucanos votam no Galo da Madrugada.

Incorre depois no mesmo pecadilho de Bernardo ao apontar que na história do Campeonato Brasileiro não há registro de outro time grande que tenha permanecido três anos consecutivos na Série B. 

Não há também nenhum registro de time grande que tenha sido arrasado financeiramente pela sua diretoria e em seguida, quando levantava, encontra fechadas as portas do mundo por dois anos pela pandemia.

4. Gabriel Oliveira mexe em caixa de maribondo:

“O maior medo do torcedor atleticano é ver o Cruzeiro (maior de Minas) sair de onde está. (…) Dinheiro não compra tradição e não faz a camisa pesar em finais ou jogos de mata-mata. ”

Cuidado, Gabriel! Este sentimento, camuflado na raiva com que nos apedrejam mesmo quando estamos caídos, quase sem forças pra reagir, isto no fundo é medo de nossa reação. Mas a barraca atleticana finge que não. Breve voltaremos para o nosso lugar. E o Atlético também.

5.Jack pensa como milhões de nós:

 “… esse amor ao clube o torna imortal e, em breve, estaremos de volta ao nosso lugar de origem. Quanto a vcs, não se iludam, estão em um território estranho, o qual não conhecem e logo voltarão pra onde pertencem. ”

Jack, cuidado com emboscadas. Você pegou pesado!

6. João de Deus Filho enfoca a pesquisa que mantem a torcida do Cruzeiro como a maior fora do eixo Rio-São Paulo. Primeiro, coloca em dúvida a idoneidade da fonte, lembrando erro grave de pesquisa para presidente da República.

João, um erro entre dezenas de acertos não pode invalidar o sistema.

Em segundo lugar, admitindo verdadeiros os resultados, prevê que esta situação vai mudar em breve e explica com uma pergunta:

“…qual menino hoje em dia vai querer torcer pra um time cujo nome está envolvido em tantas falcatruas e é mais notícia nas páginas policiais que de futebol? ”

Meu caro Guru da Racionalidade, aparentemente seu argumento é correto. Mas se você lembrar que esse menino tem uma família cruzeirense e cresce rememorando as “paginas heroicas, imortais”, a possibilidade de mudança de paixão fica bem distante. Além do mais, reconstrução pra valer vem aí!

7. Manuel Panhame, o historiador, achou fórmula fácil de matar o blogueiro de banzo. Ontem, Carlyle Guimarães, hoje Feira Permanente de Amostras: três andares e uma torre envidraçada dominando, à frente, toda a retilínea avenida Afonso Pena. Da calçada surgia uma escadaria ampla que no centro levava à Radio Inconfidência ali instalada nos andares superiores. Vale a conferir as fotos no Google. Pelas laterais, corredores com a exposição permanente de produtos agrícolas e industriais de Minas. Vidros, ao invés de paredes, mostravam a Feira para quem passasse do lado externo. Estava sempre aberta à visitação pública, gratuitamente, sem qualquer protocolo. Os corredores eram dois longos braços que enlaçavam, bem no meio, o Ginásio do Paissandu, onde funcionavam ora quadra de basquete e vôlei, ora cinema, ora ringue de luta livre.

Uma lenda chamada Jairo Anatólio Lima chefiava o Esporte. Na notável administração Elzio Costa foi criado o Jornalismo, ficando a chefia com este blogueiro. Na parte artística, Rômulo Paes, Anete Araújo, Seixas Costa, maestros Djalma Pimenta e Torres, Clara Nunes, Waldir Silva e seu Regional, além de outros “imortais”. A Inconfidência alcançava na época a maior audiência do rádio brasileiro.

A expansão surgiu quando o Governador Magalhães Pinto, mirando a presidência da República, determinou o aumento da potência da emissora oficial do Estado. Elzio Costa comprou um transmissor Phillips avançadíssimo para os padrões da época. Espantou-se ao ser indagado pelo vendedor – “como quer receber a comissão”? De jeito nenhum, disse ele. Não era coisa pra se jogar fora, ainda mais pra quem, como ele, estava com várias prestações atrasadas de apartamento comprado pelo BNH (Banco Nacional da Habitação). Com a recusa de Elzio e a impossibilidade de se devolver a “dinheirama”, achou-se solução: o destino foi a renda industrial da Radio e a verba entrou no bolo como se fosse de anuncio. Descoberto que Elzio estava perdendo o apartamento, fizemos na Rádio um “mutirão de irmãos”, até serventes contribuíram.

E foi salva a pátria.

Em 1965, quando o edifício foi demolido para a construção da atual Estação Rodoviária, arquitetos com louvável visão defenderam deixar o espaço livre visando o rápido escoamento do trânsito pela interligação direta da avenida Afonso Pena com a Antônio Carlos e a Pedro Segundo. Não foram ouvidos, mas era a melhor ideia, sem dúvida. Hoje temos certeza.

8. JCSR – seu texto merece medalha de ouro. Um retrospecto cirúrgico irretocável dos caminhos dos dois Clubes. E a conclusão em caixa alta para que todos “ouçam”:

“NAS POUCAS VEZES QUE ESTEVE EM ALTA O ATLETICO GANHOU MUITO POUCO E O CRUZEIRO QUANDO ESTEVE EM ALTA FOI MULTI-CAMPEÃO”.

Meus caros condôminos atleticanos, está aí, apontada pelo JCSR, a nossa diferença em dezenas e dezenas de anos. A incontrolável raiva de vocês contra nós nasceu aí e se alimenta aí.

Isto é irrespondível. Nem tentem, porque vão perder ponto batendo lateral.

9. José Fernando Durães Saraiva estranha a escalação do Cruzeiro, com dois volantes e dois centroavantes. Nós também. Óbvio, quem treina os jogadores é o técnico e ele deve saber o que faz. Mas é difícil entender o que podem fazer dois centroavantes lá na frente, isolados, com um meio de campo sem armadores. Luxa, tomara que você esteja certo! Quanto à saída de Mateus Barbosa, foi lamentável, mas inevitável.  Quando se juntam vontade do jogador e seu agente, com vantagens financeiras sedutoras pra ambos, ninguém segura.

10. Rei Melo insiste em que os nossos últimos técnicos foram mal escolhidos.  Discordo. Fora o mais badalado deles – Felipão que agora afunda o Grêmio – os três últimos estão reabilitando times que eram iguais ou piores do que o Cruzeiro. Enderson Moreira, no Botafogo; Mozart no CSA e Felipe Conceição, no Remo. A culpa era deles ou era nossa?

11. Luiz Gonzaga de Barros, com razão, observando que

“…é muita coisa errada fora de campo e, dentro, a matéria prima deixa a desejar…”

Lamenta a quantidade absurda de 16 empates. Se a gente não testemunhasse, não acreditaria.

Meu caro Luiz Gonzaga, embora não tivesse feito por merecer, o Cruzeiro ainda foi prejudicado por erros de arbitragem, no primeiro turno, sem o VAR, e no segundo, por causa do VAR… Incrível.

Óbvio, não se nega que estamos nesta situação por culpa própria.  Mas vários pontos nos foram tirados por equívocos da arbitragem ou pelo silêncio do VAR quando deveria interferir.

12. Atleticano lança míssil contra o blogueiro:

“Já ouviu aquele ditado? Uma mentira dita mil vezes se torna realidade. É imoral o que o Dalai faz com os poucos cruzeirenses que ainda tem força pra acompanhar o time e esse blog. Mas ele está fazendo a parte dele, se agarrando a qualquer coisa, mesmo que não seja real, para manter intacta a vaidade que é peculiar à instituição que ele defende no blog.”

Atleticano, quantas vezes você repetirá a mentira de “poucos cruzeirenses que ainda têm força pra acompanhar o time e esse blog”?

Esta vai demorar a virar verdade… porque na semana passada, o Data-Tempo divulgou pesquisa de setembro indicando a torcida do Cruzeiro como a maior fora do eixo Rio-São Paulo. Este modesto QUINTAL é prestigiado em média por 80 mil leitores/mês. Esta coluna, que você abrilhanta com sua presença,  chegou a 196 comentários.

Ou seja, mesmo arrasado por dois flagelos absurdos e sequenciais – Corona-Wagner e Coronavirus – o Cruzeiro ainda mantem a sua grandeza (jamais arrogância) sustentada pelas “paginas heroicas, imortais”.

Nos tiraram tudo, menos a consciência de nosso valor histórico. É esta saga que norteará a reconstrução por maiores que sejam as dificuldades de hoje.

Atleticano, seu time está grande. O Cruzeiro é grande.

13. Honra a quem honra – Em sua excelente coluna das quartas-feiras, no Estado de Minas, Gustavo Nolasco massageou ontem o dorido ego cruzeirense: 

“Até hoje somos o único time fora do eixo Rio-São Paulo a ganhar o título nacional na era dos pontos corridos, e o fizemos por três vezes”.

Acha pouco? Desculpe-me repetir: entendeu porque o Atlético está grande e o Cruzeiro é grande?

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do Portal UAI.

All Comments

Subscribe
Notify of
guest
74 Comentários
Oldest
Newest Most Voted
Inline Feedbacks
View all comments
julianø damien

Dalai, temos, com Luxemburgo, enfim, alguém que “entenda de futebol”.
Comentei e comentava outrora, desde anúncio do “pofexô”, que, o Cruzeiro, com ele, ganharia muito mais fora de campo que dentro deste.
Por que disso?
Teria, reforço (e digo mais uma vez), “quem entenda de futebol”.
Sejamos sensatos que SSR tenta fazer o melhor de sua parte. Todavia, como todo ser-humano, ele tem suas limitações (e que não são pequenas): tenta se desdobrar pra colocar ‘as contas em dia’, e, neste quesito, tem feito sua parte – contudo no mais…
Digo já de longa data que “treinador não é o problema do Cruzeiro”: Adílson, pra mim, ótimo treinador, só que nem plantel tinha; Enderson não vejo com bons olhos, porém tem seus bons trabalhos na bagagem e recuperação do Botafogo fala por si somente; gosto muito do Ney Franco, mas, com aquela barcaça infernal, impossível dar algo que preste; Felipe Conceição, inclusive, foi quem gostaria pra substituir o Felipão (que, por um lado, caso tivesse devido suporte no Departamento de Futebol, poderia ter feito melhor trabalho – e por outro, ainda bem não terem entrado nas sandices de contratações que ele queria, a começar, antes de tudo, pelos estratosféricos salários de jogadores um tanto quanto questionáveis), contudo, trabalho não fluiu e ele não aguentou a pressão.
Com Luxemburgo, temos uma série de experiências e feitas de modo sensato, como destacado, com os “meninos da base”, visando aprimoramento e “ganhar bagagem” (sem “queimar” o jogador) – ao contrário do que vimos com Deivid, Pastana, Mozart e outros, que, junto com SSR, muitas vezes tornam o Cruzeiro um laboratório de experiências, sem mínima garantia de nenhum retorno produtivo.
Por fim, de “Professor Pardal”, já basta o Adílson – este sim que muitas vezes arriscou e vez por outra conseguiu algo ‘fora de lógica’.
Pela manutenção do “pôjeto”: seria o primeiro passo para começar a colocar a casa em ordem em 2022!!!

att.
j.

Teobaldo

Na hora de brincar, brincar; na hora de debater, debater! De seu comentário discordo apenas da expressão “Com Luxemburgo, temos uma série de experiências e feitas de modo sensato”. Entendo que tais experiências só ocorrem porque o clube está no fundo do poço. A instituição não podia (e continua não podendo) contratar, logo, o desespero, ou mesmo a simples falta de qualificação do elenco, leva a esse tipo de atitude. Se o Cruzeiro estivesse pensando realisticamente, ou seja, que subir é improvável (diferente de impossível), colocaria em campo, desde já, atletas de suas categorias de base. A chance de garimpar alguém, de fato, com bom potencial, é grande. Abraços”

Atleticano

Bom dia Dalai!
Quando afirmo que existem “poucos cruzeirenses que ainda têm força pra acompanhar o time e esse blog”, falo da minha amostragem, tenho diversos amigos/colegas cruzeirenses, numa conta rápida posso dizer que em torno de 1 em cada 10 ainda tem disposição para discutir futebol comigo.
O que mais ouço é:
“Ah cara, não estou tendo mais vontade ver, acompanhar futebol, não to com saco.”
“O que fizeram com o cruzeiro me desanima.” (esses se esquecendo que os mesmos que os levaram a quase falência foram os que montaram os times que lhes deram títulos entre 2013 e 2018)
Alguns até falam que agora preferem só acompanhar o futebol europeu. Então, pra mim, sim, são poucos os cruzeirenses que ainda têm força pra acompanhar o time.
Sobre as visitas no blog, acho que se for honesto e der uma olhada rápida nos comentários, e até fizer uma contagem, a grande maioria é de atleticanos, que como eu, fazem questão de frequentar esse minifúndio que é ainda um dos poucos lugares onde podemos nos satisfazer com a caminhada de ré do time azul (ou verde? ou vermelho? ou amarelo?). Os demais blogs praticamente acabaram.

Quanto aos flagelos, já disse e repito, a mania de querer jogar a culpa na administração Wagner é que mantem vocês longe dos maiores. Enquanto terceirizarem os problemas, continuarão a andar de ré. Você sabe que os problemas começaram antes, as dívidas que começam a pagar ano que vem, muitas são da administração anterior a do Wagner, além do mais, quando venceram, idolatravam esses mesmos que hoje vocês demonizam, Mitair, Mitair, Mitair… lembra? Tudo isso debaixo do nariz dos conselheiros e aplaudido pela torcida e setoristas da imprensa.
Já o corona vírus só devastou um time no planeta, o seu.

Jack

Bom dia a todos. Amanhã é contra o líder. Espero que o Luxa tenha armado alguma coisa pra gente sair com a vitória. Eles jogam no 433, sendo que o Léo Gamalho fica mais à frente, com Rafinha e Igo voltando mais um pouco, quase um 4231. O Rafinha e o Igor são rápidos mas o Léo Gamalho não, em compensação tem excelente tempo de bola. O Robinho no meio arma e chega à frente pra concluir. Imagino o Coxa com a posse tentando agredir. Será que o luxa vai partir pro jogo reativo de novo? Com Marcinho, Adriano e Romulo no meio e Tiago, Wellington Nem e William José na frente mas marcando atrás ? Veremos, de qualquer forma, que seja um bom jogo, desde que a vitória seja azul, é claro.

Bruno da Silva

kkkkkk amanha é so jogar a pá de cal, kkkkkk o caixão ja ta fechado kkkkkkkk

Jack

Sonho seu franga. Por falar nisso, quem diria, escPRam de perder pra poderosa chape. Kkkkkkkk

Rodrigo Valu

Continua invicto e lider disparado.

Jack

Parabéns, ganhou alguma coisa?

Rei Melo

Dalai as vezes o Sr me deixa ate sem graça;; Olha o Sr. insiste em chamar de técnico Ederson e Felipe conceição? e o pior ainda acredita que essa monte de pereba tem futuro no clube? por isso essa merda de time continua onde esta. vocês ai do clube são doentes.
Esse time esta onde esta pq vocês contrataram estas merdas de técnico pau mandados.. encheram o clube de pereba com contratos longos.. olha ia o que vocês fizeram… o time esta em 13º da B . ACORDA DALAI O TIME É UMA MERDA.
TE PEÇO DE NOVO.. Fala UM QUE VOCES CONTRATARAM E QUE ESTES TAIS GARDOILAS QUE VC ENDEUSA Pediram QUE JOGA? FALA UM SO … SOMENTE UM. E COM ESSE PAPINHO DE TAÇA ETC NAO LEVA A NADA MEU AMIGO NADA,, PRESTA ATENÇAO ESSE TIME É UMA MERDA SIM..
O PESSOAl DO CLUBE É SEM NOÇÃO SIM … SOMENTE TEM VAGABUNDO LA SIM E BURRO 100% BURROS.
Se manterem esse grupo ano que vem vai ser a mesma historinha… taça bla bla bla…e time com tiago? Marcinho? claudinho? joseph? Norberto .. ta bom viu..
Você pode enganar um tanto de gente mas eu sou meio realista.. com esse grupo ai o time não passa pra primeira pagina nunca.
Vamos as soluções Dalai? vamos ser realistas ou idiotas como tem sendo os últimos 3 anos.
Começando a arrumar a casa:
O tal la do Pcc… ja foi embora;; pq veio? o que fez e o que vai levar? deixar este vagabundo la este tempo ja deixou um buraco gigante encheu de pereba inútil com contratos longos.
Dispensa de 99 % do plantel .. não pode ficar ninguém contratado nos últimos 3 anos .. ninguém.. O TIME É UMA BOSTA NAO ADIANTA ESCONDER E FINGIR DE BOBO.
-NÃO DISPUTAR O TORNEIO mrv/ fmf.
– impedir QUE O TAL PRESIDENTE SEM VERGONHA FAÇA ALGUMA COISA NO CLUBE.
– expulsar TODOS OS CONSELHEIRIOS DA FACÇÃO CRIMINOSA União.
– TER UM TECNICO DE FUTEBOL , NAO UNS CARAS SEM COMANDO E ATITUDE QUE SE SUBMETEM A ORDENS DE BANDIDOS com cargos de diretor.
– NUNCA MAIS CONTRATAR APOSTAS.QUER APOSTAR JOGUE NA MEGA SENA .. CORRIDA DE CAVALO..NUNCA EM EDERSONS E FELIPES E MOZARTS KKK MOZART É DE CINEMA .. NEM EM FILME ALGUEM CONTRATA ESSE BOBALHÃO. ASSIM COMO OS OUTROS DOIS CITADOS, DOIS FANTOCHES DE DIRETOR.
dispensar OS QUEIRNHOIS DO DALAI…o NOVO ALAEX O NOVO TOSTÃO E NÃO CONTRATAR MAIS NINGUEM INDICaDO PELO MARIA LOKA. ou por quaqler passa fome (vulgo conselheiros)
Por ultimo Dalai.. você me parece um cara legal.. inteligente , mas fala de futebol não pq de futebol o Sr tb não entende nada, absolutamente nada.
Achar que esse time é time.. que EDERSON ,FELIPE E Mozart SÃO SUPER TECNICOS ,, KKK PEDIR SASA DE VOLTA .. TO TE ZOANDO NÃO DALAI … MAS ISSO É UM PRATO CHEIO PARA PIADA DO PESSOAL DE ASSUNCION DE BH….
cOMO JA TE DISSE .. QUER AJUDAR…. Comece DANDO OS NOMES DOS VAGABUNDOS QUE RECEBEM NO CLUBE E ESTÃO LA DESTRUNDO O MESMO.
DE UMA COISA TENHO CERTEZA ESTES MAGNFICOS TECNICOS QUE O sR ADORA NUNCA MAIS VAO TREINAR O CLUBE. ISSO JA UM UM GRANDE PASSO FALTa LIVRAMOS DE TODO O PLANTEl DESTE ANO O QUE É DIFICIL JA QUE PARA O sR O TIME É MEHOR QUE O Manchester CITY OU BAYER.
SO FALTA O EMOCINAL KKKK PQ COM O NOVO ALEX E O NOVO TOSTÃO NO TME SEREMOS IMBATIVEIS…KKKKK
ESQUECI FALTA TRAZER SASÁ O MARGINAL PARA COMPLETAR O TRIO DE CRAQUES …
TENHA UM BOM DIA E CUIDADO COM A VISTA DALAI.. ELA ENGANA DEMAIS…
E TOME UM GARDENAL PQ ACHAR ISSO AI TIME NEM LOKO TEM JEITO.

Joao de Deus Filho

Bom dia, meu caro.
Gostaria de comentar a respeito de uma resposta que vc me deu.
Vc diz que uma Reconstrução vem aí.
Eu gostaria de saber, com segurança, de onde vc tem certeza que uma reconstruçao está vindo.
Eu perguntaria a vc: já existe algum empresário disposto a investir num clube cujas dívidas alcançam 1 bilhão e que tem uma série enorme de pagamentos a efetuar à partir de janeiro do ano que vem, além de mais de 200 processos trabalhistas????
Veja bem.
Enquanto o Cruzeiro luta prá tentar encontrar esse samaritano, o América já está com quase tudo engatilhado prá anunciar um investidor multimilionário americano (não torcedor, mas da América do Norte) que está disposto a investir no Mequinha, que é um clube saneado, organizado e transparente.
Eu sempre comentei aqui, desde as primeiras vezes que aqui entrei, que qualquer empresário teria preferencia em investir num clube assim, como aconteceu também com o Bragantino.
Pro investidor, não é necessário ter torcida grande. Ele quer um clube onde jogadores possam se destacar e depois ser vendidos como aconteceu com o Claudinho lá no Bragantino.
A situaçao do Cruzeiro tá terrível, terrível, terrível, e não sei se tem solução.
O torcedor do Cruzeiro tá se agarrando a essa última possibilidade.
Mas, eu faço uma pergunta que pode até parecer cruel: será que ele acredita mesmo que algum investidor vai colocar dinheiro num clube onde ninguém acredita que existe lisura e transparencia??
Eu te pergunto: vc acredita nisso? Jura ?
Bom.
Hoje não tem zoação, nem brincadeiras.
Fico aguardando uma resposta sincera e honesta.
Um grande abraço.

Bruno Araújo de Carvalho

Tomara que o nome de consenso para Diretor de Futebol (Alexandre Matos) seja consultado e aceite uma possível proposta, temos que parar de apostar e colocar um planejamento para o próximo ano com profissionais vitoriosos e engajados em um só objetivo (voltar o clube para a 1° Divisão). Chega de mediocridade e arrogância de quem comanda o nosso Clube !

Rei Melo

Respondendo ao paraguaio com nome de pai de Santo ai embaixo:
Claro que ninguém em sã consciência vai investir em uma lugar cheio de gente sem escrúpulo Sr Joao de Deus….
Observe que o Sr Dalai sempre tenta por um pano ou usar uma fumaça para não citar os tais abutres…
Observe João o que o tal presidente faz… ou melhor deixa de fazer. o cara é um mimadinho de zona sul de Bh que mal sabe ir na savassi sozinho , nunca assistiu um jogo de futebol e é rodeado por sem vergonha.
O clube faz contratos longos com péssimos atletas , que não tem condições nenhuma de jogar futebol e presta atenção nos comentários do Dalai ( ele representa aqui o clube pois é o único que esteve la dentro e conhece a maioria dos tais conselheiros), nos comentarios dele ele exalta uns tais jogadores somente pq estão lá.. sendo que estes exaltados não produziram nada de útil em 2 anos e somos obrigados a ficar com estes trastes por mais tempo ou ate o clube acabar, o que não deve demorar muito.
Esse papo furado de taça ranking João não leva a nada .. conversa fiada de escola pre adolescente.
Não estou implicando com o dalai, mas é nítido que ele tb não entende nada de futebol.. vive em outra dimensão onde Ederson e Mozart são técnicos e sasá é jogador de futebol.. tem Base isso?
Este monte de absurdos leva o clube , qualquer que seja ele ao fundo do poço. quem vai investir em um time que so perde, que so aprece em paginas policias e agora diariamente em páginas de comedia?
Quem vai investir em alguma coisa sabendo que tem 400 seres inúteis te embaçando e se achando melhor que os outros e o pior usando o clube para tretas..
O Sr já viu isso João uma firma que tem 400 babacas metidas a chefe dar certo? onde?
Vou continuar sendo cruzeirense , mas realmente desanima ver que o pessoal la é totalmente sem noção, sem vergonha e sem atitude…
Putz achar que MOZART É TECNICO ? EDERSON? ESSE ENTÃO UM SUBMISSO DE DIRETOR DE FUTEBO SAFADO.
assim JÃO PELO VISTO VAMOS MOFAR MUITO TEMPO NA B E SE MANTIVEREM ESSA CORJA DE PEREBAS LA EM BREVE C.
A SUA RSPOSTA ESTA AI.. NINGUEM VAI INVESTIR DINHEIRO NESSA DRAGA SEM RUMO LOTADAS DE RATOS..

Jack

Com relação a investidores, o Jaeci Carvalho já publicou há alguns dias que tem vários empresários cruzeirenses dispostos a aplicar dinheiro no time, desde que seja aprovada a lei da SAF. Até onde sei foram derrubados os vetos do presidente n proposta de lei, faltando a publicação. Não sei o tamanho do Aporte mas foi sugerido em torno de 500 M e a diretoria de futebol seria desvinculada do presidente e passando para um CEO. As dívidas já contraídas sejam pagas parceladamente com o montante destinado ao clube, sem prejuízo aos lucros destinados aos investidores. Uma autêntica Sociedade Anônima com fins lucrativos.

Atleticano

hahaha a referência informativa do cara é Jaeci Carvalho.
Esse blog me mata de rir.

Jack

Não gosta do Jaeci? Problema seu, então vá procurar outra fonte do seu gosto, e a chape?

Rodrigo Valu

Continua na zona de rebaixamento. Ano que vem vcs se encontram.

Jack

Isso é verdade. A chape já caiu e o Cruzeirão não sobe. Só posso argumentar que taça que é bom nada né?

Teobaldo

Na hora de brincar, brincar; na hora de debater, debater.

Essa tal SAF (o nome já é uma piada pronta) só se sustenta com isenção de impostos, caro Jack, o que é um absurdo, na minha modesta opinião de cidadão, haja vista empresas sérias que empregam muitas pessoas, não conseguirem nenhum centavo de desconto em suas cargas tributárias. Não pense que alguém vai enfiar dinheiro do Cruzeiro (ou em qualquer clube) se não tiver a CERTEZA DO RETORNO FÁCIL, às custas de quem realmente arca com a carga tributária mais elevada. Em complemento, lembre-se: a salvação dos clubes no modelo proposto passa pela salvação daqueles que os roubaram, já que tais crimes, em tese, simplesmente desaparecerão com a nova legislação. Vamos pegar o Cruzeiro como exemplo (só por estar mais próximo de nós): o Cruzeiro Velho fica com as dívidas e o Cruzeiro Novo (com novo CNPJ) nasce puro como a Virgem Maria, sem nenhum débito, podendo contratar quem ele quiser, até mesmo iniciar uma nova ciranda financeira. E os encargos na FIFA, como é que ficam? Eles simplesmente desparecem? Não obstante, vale refletir sobre o estelionato esportivo patrocinado por tal “arremedo de lei” já que qualquer “clube novo” com “CNPJ novo” deve iniciar sua vida na divisão “mais inferior” do futebol brasileiro (Série D) e isso não vai ocorrer. Curioso é que nenhum moralista de plantão na imprensa (ou nos blogs – Rsssssss) faz campanha contra tal absurdo ou mesmo se apresenta para o debate. Porque será que isso vem ocorrendo? Não é um fato curioso? Abraços!

Jack

Teobaldo, vc está certo no que se refere à carga tributária. Realmente eu acho injusto o tratamento diferenciado, como se o futebol fosse atividade mais importante do que as demais, que, notadamente, sustentam o país. Eu confesso que não li o texto do projeto, apenas estou falando o que jornalistas cobriram. Parece que o Presidente havia vetado exatamente essa parte, mas a câmara derrubou os vetos. Segundo consta não haverá nenhum perdão de dívidas nem novo CNPJ, apenas ações do clube à venda pra quem quiser investir. Internamente o clube se organiza e, logicamente, os investidores vão se precaver. Como? Tomando as redias daquilo que rende, o departamento de futebol. Pra isso ocorrer deverá negociar as dívidas existentes e paga-las em forma de retorno ao clube, um percentual de retorno ao clube, ficando assim salvo o percentual de lucro dos investidores. Eu posso estar off em alguns pontos aqui ao ali, mas foi isso que pude entender do caso. Veremos.

Augusto

SAF Sociedade de Apoio ao Falidão
Vai ter que mudar o nome outra vez…
Sugiro
O que foi sem nunca ter sido Esporte Clube

Jack

É Sociedade Anônima do Futebol. Não sabe ler não franga?

Manuel Panhame

Zé do Monte costumava entrar em campo com um galo nos braços, para delírio da torcida. Zé do Monte é para mim o mais emblemático jogador que vestiu a camisa do Atlético. Muitos homens de respeito e arte suaram e honraram nosso sagrado manto, ídolos inesquecíveis… Mas, dentro do meu coração, num lugar especial, estará para sempre aquele jogador técnico e raçudo, motoqueiro, chorão e medroso de anestesia, que sempre terminava uma decisão aos prantos, qualquer que fosse o resultado, e que dizia para quem quisesse ouvir que seu futebol era só para o Atlético. Mineiro de Abaeté, José do Monte Furtado Sobrinho, nascido em 1927, não morreu em 1990, como apregoam e acreditam os adeptos da oficialidade… Zé do Monte não pode ter morrido ou vir a morrer simplesmente porque ele é imortal, como o Clube que amou e defendeu como poucos… Emblemático. Termo forte, eu acho.
O emblemático acontecimento de 1948, Cruzeiro e América comprando o juiz inglês para a qualquer custo tirar o Tricampeonato do Atlético, a meu modo de sentir foi o primeiro grande acontecimento da rica História do Clube Atlético Mineiro a demonstrar para os que têm olhos para ouvir sussurros que este clube não é um clube como os demais. O segundo acontecimento emblemático eu o enxergo na decisão de 1971, o Galo, já fora da briga, vencendo o Cruzeiro que jogava por um empate e dando de bandeja o campeonato ao América… Quem teve olhos enxergou, quem os tem vê: imortal, superlativo, inalcançável. O dono inconteste destas Minas Gerais, sua casa… O terceiro acontecimento emblemático, de uma dramaticidade espantosa, foi a perda do título em 1977, o Atlético, invicto, tendo terminado o Brasileiro com apenas 3 empates e bem poucas vezes ao longo do torneio tendo vencido por diferença mínima, entre esses especiais adversários figurando um time de saiote branco e calcinha e camiseta azuis… Na decisão por penalties, injusta, absurda, insustentável, inexplicável, nosso goleiro defendeu duas penalidades, nossos meninos bateram para fora três vezes. Se eu estivesse no gol do São Paulo, o título igualmente teria ido para o Morumbi… Salta aos olhos que nenhum acontecimento emblemático encerra levantamento de taça de nossa parte. Muito pelo contrário. Encerra sofrimento, ranger de dentes… O acontecimento emblemático não é para infantis que ganham de Natal presentinhos e exaltam o pai por isso… “Papai nos deu seis bicicletas, uma pra cada irmão, comprou quatro vestidos de seda, um pra cada irmã!” … Não foram emblemáticos os 9×2, não foram emblemáticos nenhum dos 46 títulos, nem mesmo o penta e o hexa, não o Campeonato Brasileiro de 36, nem a maravilhosa excursão de 50 ou a conquista do Maracanã em 1971, nem a Libertadores, nem a Copa do Brasil, a Recopa também não, o Bi da Comembol, o Brasileiro da Série B (Time grande sobe CAMpeão), nem os muitos torneios importantes… Um Clube normal se agiganta por suas conquistas, seus momentos heroicos. Isto é delicioso, todos querem, nós também. Todos são grandes nestes grandes acontecimentos. E todos querem esses grandes acontecimentos. Nós vibramos muito em todos os nossos. Nós estamos ávidos pela confirmação de mais um, o deste ano, esperado, aguardado, Minas Gerais que se prepare para a grande arruaça… Mas não é qualquer Clube que permanece gigante suportando suas angústias… Cinquenta anos sem um Brasileiro de verdade não é para qualquer um. Um cruzeirense do blog escreveu ontem ou anteontem “que nenhum deles ficará esperando cinquenta anos pela conquista do quinto Brasileiro ou da sétima CB”… E não ficarão mesmo! O clube acaba. É um clube comum, normal como a maioria dos demais. Grande nos grandes momentos, como qualquer um. Mas destituído de raízes, de real vigor, sustentado tradicionalmente na maracutaia, na “esperteza”. Um bando de idiotizados, repetindo sem pensar em refletir os ditos de um biônico beócio que um dia ousou vilipendiar sua própria casa, difamando-a, diminuindo-a. Quem tiver ouvidos me ouça. Um homem sem casa é um homem sem raízes, é uma árvore fraca que um vendaval formidável a devasta, conduz ao solo, moribunda, apodrecida, por fim abandonada pelos seus que de fato nunca a amaram… Amavam, amam isso sim os presentes recebidos… “Temos oitocentas e quarenta copas do brasil glub glub glub” … Têm, contam apenas os acontecimentos heroicos, fiofais… Eu disse fiofais? Dos emblemáticos, que os matam, eles entendem bulhufas… Estão tombados e assim vão permanecer, não exatamente porque nós o desejamos, sim porque não têm o vigor de um Clube Atlético Mineiro, forjado na dor, no sofrimento, na injustiça, mil vez mergulhado na funda crise, mil e uma vezes renascido, reerguido pelos seus, para a alegria e a glória que nos aguardam pelos anos que compõem a imortalidade de nosso Clube. Porque nem todos os hinos falam de vaidade. Há aqueles proféticos… “Vem C, vem C, vem C!” …
Dalai, Amigo, um pedido final: não volte a usar o verbo estar com o Atlético. Um emblemático nunca está, ele é… Os demais sim, é que sempre estão: ou vencedores ou perdedores, alguns chegando mesmo a estarem à beira de um precipício sem fundo visível.
Sei que você é capaz de entender tudo isso, direitinho.
#Segueolíder

Atleticano

E por isso nosso hino é todo cantado na quarta pessoa. Nós somos, nós vibramos, nosso ideal, nossa raça, nosso orgulho…
Não existe um clube, mas sim, nós somos o Clube Atlético Mineiro.
Só quem é sabe.

JCSR

Credo! Mudou a conjugação verbal ???? No meu tempo de escola só existiam 3 pessoas, tanto no singular quanto no plural.

Mecão das Gerais

O senhor assistiu ao vivo o jogo de 1948? Qual a sua idade? Eu nem sonhava em nascer, mas relatos da época já indicavam que nesta época o galinho da massa falida, já era costumeiramente favorecido pelas arbitragens mineiras, tanto é, que um famoso árbitro da época ganhou um inusitado apelido: Cidinho “Bola Nossa”.

Velam este trecho retirado do Acervo do Coelho:

“A desconfiança que o Atlético era uma equipe constantemente beneficiada pela arbitragem caseira já era familiar aos fãs mineiros da época, ainda mais diante das contribuições do controverso juiz Cidinho “Bola Nossa”, declarado torcedor atleticano. Não tardou para o povo abraçar a ideia como forma de manifestar sua antiga antipatia ao clube alvinegro: Estava criada a “coligação contra o Atlético”, histórico momento em que a torcida alviverde multiplicou-se por sete. Quase que de repente, todas as torcidas de Minas Gerais, com exceção da massa atleticana, anunciavam a torcida para o América ser campeão. Uma grande jogada do presidente Alair Couto.

Mas esse foi apenas um dos episódios do clássico extra-campo que precedeu a final. Afinal, há cada dia que passava, uma nova polêmica surgia dos escritórios administrativos dos clubes para a farra da imprensa local. Bastou o América anunciar o valor do “bicho” (recompensa pela vitória) em caso de título, para a diretoria do Atlético declarar que pagaria o dobro aos seus jogadores caso fossem campeões.

​MAS LOGO CIDINHO?

No dia 22 de novembro, a novela teve seu ponto crítico, quando o presidente atleticano rompeu com o departamento de arbitragem de Minas Gerais após exigir que Cidinho “Bola Nossa” fosse o árbitro da final. “Mas logo Cidinho, o ‘bola é nossa’?!” – reclamava indignada a diretoria do Coelho. Ocorria que o ilustre Cidinho era, antes de árbitro, um sublime torcedor atleticano que, em certa partida, apressou um jogador alvinegro para realizar a cobrança de lateral, dizendo: “Vai, vai, que a bola é nossa!”.

​Sem obter justiça em seu próprio lar, a diretoria americana então apelou à Federação Carioca, solicitando a arbitragem do juiz britânico “Mr. Barrick” para a grande final. A demanda foi concedida pela federação Guanabara no dia 26 de novembro e, pela primeira vez na história, a final do Campeonato Mineiro foi apitada por um árbitro estrangeiro. Mas o Atlético não se deu por satisfeito e exigiu, ao menos, que Cidinho fosse um dos bandeirinhas. A demanda foi novamente recusada por motivos óbvios.”

Os torcedores do galinho da massa falida, irão com certeza retrucar, “Ah, mas foi retirado do Acervo do Coelho, não vale e blá blá blá…”

Antes que comecem o chororô, saibam o seguinte, este jogo de 1948 foi levado à instância judicial desportiva mineira da época pelo Atlético. Em Minas, como já era esperado, o Atlético teve ganho de causa. O América então, obviamente recorreu à instância superior que era no Rio de Janeiro e adivinhem, o Mecão venceu com todos os votos favoráveis ao América e ficando com o título de 1948 em definitivo. O ano era 1948, rivalidades entre times cariocas, como por exemplo, o Flamengo e o galinho, nem sonhavam em existir ainda. Esta rivalidade interestadual só nasceu no início dos anos 80. Ou seja, o América teve ganho de causa em uma instância judicial neutra, em que cariocas não tinham rivalidades com clubes mineiros. Portanto sem desculpas esfarrapadas aqui!

Jack

Repare vc que quando a Federação Mineira julgou algum recurso sempre dava ganho de causa às penosas, quando não dava mesmo pra fazer isso eles dividiam o título. Pode olhar. Varias vezes os clubes rompiam com a federação e disputavam um campeonato a parte. Até retirou um título do Cruzeirão alegando falta de publicação nos períodos da época. Não sei se vc se lembra tbm de outro juiz atleticano, o Joaquim Có Có. Era a mesm coisa do Bola Nossa.

Manuel Panhame

Mecão das Gerais, você é um estudioso das coisas do seu Clube, e isto me levou a desprezar a tendência de chamá-lo Coelhinho Pompom… No more Coelhinho Pompom, como gostava de dizer o sentidament4e ausente Campos, o Carcará… Mas, voltando a nós dois, lhe digo que sou atemporal, e dizendo isso não estou fazendo gratuita embromação nem jogo de palavras estéril… Existem mais coisas entre o céu e a terra do que é capaz de sonhar nossa vã filosofia, escreveu certa vez um distante contemporâneo meu… Quanto ao mais, Mecão das Gerais, bravo co-irmão, não vamos discutir… Almanaque do Coelhinho Pompom!!!… É demais para a minha idade, Mecão…
PS.: gostei do esculacho que você passou ao Cruzeiro via Dalai… Gostei sim, mas com reservas e torcedura de nariz: vocês do Micróbio Verde sempre adoraram andar na má companhia da Máfia para conspirações contra o Clube Absoluto Mineiro, e ser ludibriados por eles muitas vezes fez parte da mais sagrada das pretensões do Orelhudo Pompom. Fique na Paz e permaneça na série A.
Saudações Alvinegras

Augusto

América?
Que time é esse?

Rodrigo Valu

Um dos dois times mineiros que disputam a Série A.

Jack

Kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk. Essa é a melhor de todas. Kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk. Parece um pastor. Kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk. Esse blog é muito legal. Kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk. O cara não tem vergonha mesmo, parece que tá lendo um livro infantil pro filho dormir. Kkkkkkkkkkkkkkkk. Cont mais uma mané, essa foi das melhores.

Manuel Panhame

Jack, vc ainda está aqui, Jack?!
Petição a caminho, breve saindo Jack, coming in two pretty ladies… Bye, bye, Jack!

Jack

You again Mané? Aren’t you ashamed? Still talking about this plot? Don’t you understand that this isn’t an honorable act for who call himself an educator? We’re here talking about serious matters that are pertinent to the biggest state team and you’re up for jokes? Look, I just wNt to ask you something. When you wrote that big peace of bullshit up, were you at the bathroom meditating? What a piece of garbage!

Manuel Panhame

Kkkkkkkk
Vc é o meu amigo, Edgar Campos, o Carcará, com outra nomenclatura… Virou moda no blog! Kkkkkkkkkkkkk
Vamos revogar sua expulsão, Fiel da, digo, Jack… Bem vindo de volta, companheiro… Aqui é Galo!
É nós!

Manuel Panhame

Plagiando Peppeu, eu quis escrever Fields… Saiu errado, corrijo agora… Edgar Fields… kkkk kkkk… Bem vindo de volta!

Augusto

Esse kkkkkkkkkkkk me faz lembrar do Falidão kkkkkkkkkkkkkkkbbbbbbbbbbuloso

Jack

Kkkkkkkkaaaaaaaaabbbbbbbuuuuuuuulllllllllllllllooooooooooooossssssssssssssssooooooooooo.

Jorge

Uma boa quinta-feira a todos!

Até para quem ainda está na SEGUNDA!

E amanhã vai sextar! Mas atenção! Quem está na SEGUNDA, vai continuar na SEGUNDA!

Terrível, terrível, terrível!!!

E tá aí uma boa discussão sobre as dívidas dos clubes e as soluções que cada um vem dando para elas.

Não é segredo para ninguém que o Galão Mais Querido do Mundo (notei que o Dalai ficou enciumado com essa expressão) tem uma das maiores dívidas entre os clubes de futebol do Brasil.

E o que ele vem fazendo para atacar esse problema? Com ajuda de atleticanos de estirpe, aumentou ainda mais essa dívida para fazer investimentos no time de futebol, para pagar dívidas FIFA, dívidas com outros clubes, dívidas com jogadores e ex-jogadores, enfim, dar uma saneada nas dívidas de curto prazo, alongando o perfil da dívida, mas, principalmente, reduzindo enormemente o serviço dessa dívida.

Hoje os juros altíssimos de curto prazo não existem mais, assim como as multas e juros por atrasos de pagamento. Funcionários e jogadores recebem religiosamente em dia, as receitas estão em franco crescimento e o saneamento de todas as dívidas é previsto para um horizonte de cinco anos.

Paralelamente, o patrimônio vem aumentando com a construção do estádio próprio, entre outros investimentos em ativo, e a área administrativa passa por um processo de profissionalização ainda não visto em nenhum clube do Brasil.

E embora estivesse previsto colher frutos esportivos dessa revolução apenas dentro de alguns anos, os resultados vêm surpreendendo positivamente e superando todas as expectativas de receitas previstas pela participação nas competições.

Do outro lado temos o Bbruzeiro.

Tradicionalmente o Bbruzeiro sempre foi um time com as finanças razoavelmente controladas até que tudo começou a mudar em 2012.

E tudo começou por um susto muito grande em 2011. O incaível quase caiu naquela temporada. E cabia ao Galo decidir se dava um empurrão precipício abaixo ou se estendia a mão. Ou ainda se seria indiferente ao problema alheio.

Estender a mão nunca esteve nos planos, como pede o espírito de competição, mas a importância que o Bbruzeiro tem para o Galão Mais Querido do Mundo era tanta que o Galo, alcançada a sua meta no campeonato com uma rodada de antecedência, na quinta-feira, ao invés de treinar para o último jogo do campeonato, o elenco preferiu churrasquear, sob os olhares tolerantes do treinador, que por sinal é o mesmo de agora.

Aquele jogo, para nós, era simplesmente cumprir tabela. Mas para eles, era final de copa do mundo. O desespero era tão grande e a surpresa com o resultado favorável tão extasiante que o  6×1 passou a ser maior que o 9×2, numa estranha matemática que até hoje faz com que um registro histórico estampado em jornais da época e mesmo no almanaque oficial deles deixe de existir para os negacionistas. E como tem negacionistas naquela turma!!!

Mas todo esse prefácio foi para dizer que se para a torcida o resultado foi de alívio e de muita  alegria, a possibilidade de o incaível cair pelas mãos do rival acendeu a luz amarela entre os cartolas azuis. E quando 2012 chegou e com ele o Ronaldinho Gaúcho no Galão Mais Querido do Mundo, o que era luz amarela se tornou vermelha. O desespero foi generalizado. A vaidade via uma possibilidade real de ser esmagada. Precisavam fazer alguma coisa.

Quando, no futuro, alguém for escrever sobre um time que era um exemplo de finanças organizadas e que entrou numa espiral suicida de dívidas para vencer a qualquer custo, não contará toda a verdade se não compreender a pedra angular de todo esse movimento. Seu nome, Ronaldinho Gaúcho. Seu lugar, Clube Atletico Mineiro.

Depois de uma campanha mediocre no brasileirão de 2012 e ver o ex-rival disputar nas cabeças, os manda-chuvas do Bbruzeiro começaram a gastar o que não devia para fazer frente ao Galão da Massa e ao astro Ronaldinho.

Para isso, atravessaram negócios de outros clubes, prometeram salários e vantagens irreais, cobriram quaisquer ofertas. Foi uma fase que ninguém ousava disputar jogador com o Bbruzeiro. Foi assim com o Ricardo Goulart, já acertado com o Galo e que acabou indo para lá, foi assim com o Arrascaeta, praticamente adquirido pelo Internacional, até que a máquina de fazer negócios do Bbruzeiro entrasse no negócio, nem que fosse para incluir um tal de Latorre, num dos negócios mais nebulosos da história do futebol. Sem contar os acordos pelo Dedé, as concessões pelo Rodriguinho e um milhão de outros ‘bons negócios’.

Embora o Dalai, sabe-se lá porque, tente defender a ferro e fogo, a verdade é que essa espiral suicida começou lá atrás com o presidente Gilvan de Pinho Tavares. A desorganização das finanças uma vez iniciada, teve continuidade com o Wagner Pires de Sá. O Mitair, que tanto foi aclamado pela torcida bruzeirense antes e, atualmente, pela torcida Atleticana, não passava de um pau mandado que, na bagunça geral, também levou o seu quinhão. Mas louvar o Mitair e esquecer o Gilvan é uma grande injustiça que faz a torcida do Galo e a do Bbruzeiro. Nós precisamos ser mais agradecidos ao Gilvan, afinal foi ele o precursor de tudo isso. Sem ele dar o start, jamais as coisas chegariam ao ponto que chegou.

Mas toda essa longa história foi para explicar como o Bbruzeiro passou a fazer parte do seleto grupo dos clubes mais endividados do Brasil.

Mas nesse ponto é necessário fazer algumas comparações entre as dívidas de Galo e Bbruzeiro para estabelecer certas diferenças. A primeira delas é que o tamanho da dívida do Galo, já com os investimentos que darão retorno, é real. Quanto a do Bbruzeiro, nem o conselho fiscal quer por a mão nessa cumbuca. Segundo estimativas pessimistas, a dívida total, a declarada mais a oculta, já pode estar perto de 2 bilhões. Terrível, terrível, terrível!!!!

Uma segunda diferença é o serviço da dívida. Ou o custo da sua rolagem. O Galo, graças aos seus mecenas, vem transformando dívida de curto prazo com juros altíssimos em dívidas de longo prazo, sem juros, apenas atualizada pela Selic. Com isso também, acabam as multas pesadíssimas pelo inadimplemento das obrigações. No Bbruzeiro ocorre o oposto, dívidas com juros altíssimos, com pesadas multas pelos inadimplementos, cada vez mais frequentes.

Pois bem, enquanto o Galão conseguiu meio bilhão de reais com seus mecenas para dar a volta por cima, pagando tudo o que deve no curto prazo, sem dar o calote em ninguém, qual foi o caminho escolhido pelo bbruzeiro? Como já está no seu DNB, o caminho da picaretagem, que eles gostam de chamar, eufemisticamente, de esperteza ou astúcia.

Jogaram todas as suas fichas no tal do SAF. E estão esperando dois anos para começar o saneamento que era urgente.

E o SAF que poderia ser a sigla de SAFadeza, é, oficialmente, a sigla de Sociedade Anônima do Futebol. Funciona mais ou menos assim: você joga todas as dívidas para um tal Bbruzeiro velho e abre outro CNPJ para um Bbruzeiro novo. As dívidas ficam para o bbruzeiro velho e as receitas, para o Bbruzeiro novo. Aí um investidor se torna ‘dono’ do Bbruzeiro novo, injeta dinheiro lá, para comprar jogador, pagar salário, pagar aluguel das instalações ao Bbruzeiro velho, etc. E fica com os lucros que, eventualmente, esse Bbruzeiro novo vai dar.

Aí começam as perguntas. Por que um investidor, não torcedor, jogaria dinheiro num clube de futebol? Sim, para ter lucro, óbvio. E as maiores fontes de lucro são patrocínio, premiações e TV. Então, do ponto de vista do investidor, seria melhor botar dinheiro em time já na série A do que na série B, já que a TV, os patrocínios e a premiação serão maiores. Isso explica haver investidor interessado no América, mas não no Bbruzeiro. Sem contar que o Bbruzeiro novo já começa credor do Bbruzeiro velho, já que esse recebeu antecipado TV e patrocínio que seria daquele.

Mas ainda há algo ainda pior. O investidor espera que as receitas sejam maiores do que as despesas para que ele tenha lucro. Porém, o SAF prevê que 20% das receitas sejam enviadas ao Bbruzeiro velho para abater dívidas. Isso, é claro, irá impactar a possibilidade de lucro do investidor. E, a menos que as receitas dêem um salto assombroso, 20% delas não pagará sequer o serviço da dívida Bbruzeirense. Isso significa que o investidor deverá jogar 20% de tudo que conseguir fazer como receita para pagar uma dívida impagável e, portanto, perpétua.

Impossível um investidor não concluir que vale mais à pena colocar dinheiro num time cuja somatória de potencial de receitas e perfil da dívida seja mais favorável.

Então, andam vendendo ilusão para o bbruzeirense achando que essa safadeza do SAF já tá tudo dominado. Não é assim! Infelizmente não será fácil encontrar um otár…, ops, um investidor para despejar dinheiro no clube.

Aí eu chego na minha conclusão.

Não seria melhor agir honestamente, ao invés de dar calote na praça com essa safadeza do SAF? Não seria mais correto os mecenas bbruzeirenses agirem como os do Galão da Massa e injetarem uns 500 milhões no Bbruzeiro (sem inventar essa safadeza de Bbruzeiro velho/Bbruzeiro novo)? Paga o que é urgente, investe num time para subir, alonga a dívida de curto prazo com juro alto e segue de cabeça erguida? Dar calote para quê?

E quem avisa, amigo é! Deveriam ter feito isso há dois anos em condições muito mais favoráveis do que agora. E se ficar demorando muito, esperando o golpe do SAF, vai ficar sem investidor e sem condições de sanear essa dívida. Hoje, com muito custo ainda tem jeito. Arrastar isso aí por mais dois anos é decretar a morte do clube.

Terrivel, terrivel, terrível!

Bom, está aí meu relatório de consultoria, feito gratuitamente para o Bbruzeiro, apenas com o intuito de ajudar.

Boa sexta-feira amanhã!

Menos para os que estão na SEGUNDA!

Jack

Pois é Jorge, parece que qualquer possibilidade de saneamento da dívida nossa soa mal e é um péssimo negócio aos olhos de vcs. Muito bem, confesso que não li a minuta da lei, apenas acompanhei pela mídia. Mas vou lê-la. Eu entendi mais ou menos a mesma coisa que vc falou, exceto de que não haverá desvinculação de dívidas como se o clube milagrosamente estivesse livre pra sem nenhum ônus. Seria simplesmente ações comercializadas na bolsa através de seu agente. Os investidores é que teriam que formular com o clube um acordo para se protegerem. Logiicamente tomariam o Departamento de Futebol, negociariam uma “taxa” ou parcela de lucros com o clube. O clube então, com esse montante arcaria com as despesas passadas. Logicamente, na situação atual do Cruzeiro, os empresários interessados, que já se manifestaram, são todos cruzeirenses, que estariam dispostos a fazer o aporte mas com salvaguarda e sendo recompensados. Acho que pode sim ser a melhor opção pro clube.

Teobaldo

Na hora de brincar, brincar; na hora de debater, debater.

“Logicamente, na situação atual do Cruzeiro, os empresários interessados, que já se manifestaram, são todos cruzeirenses, que ESTARIAM DISPOSTOS A FAZER O APORTE, MAS COM SALVAGUARDA E SENDO RECOMPENSADOS”.

Esse é mais um ponto obscuro nessa tal SAF, Jack. Algo do tipo: eu só ponho a grana se tiver garantias… É isso mesmo? Trazendo o debate para o campo rasteiro: Desse jeito até eu quero! E parte da conta (isenção de impostos) é do contribuinte (nós que não vamos lucrar nada)? Já usei essa expressão e volto a fazê-lo: Querem capitalizar o lucro e socializar a desgraça! Ou você vê algo diferente? E segue a omissão da imprensa, sempre comprometida e caladinha…

Jack

Teobaldo, vejo da mesma forma. Repito que ainda não li a Lei da SAF. Mas eu já falei anteriormente aqui, estaremos lidando com empresários ricos. Esses caras não estão ricos porque fizeram caridade. Somente empregarão dinheiro se houver retorno e, logicamente, garantias. Como vc disse me parece um tratamento diferenciado com relação a outras transações financeiras, o que foi justamente o que o Presidente havia vetado e que a Câmara teria derrubado. Tbm acho que soa injusto com as demais atividades que são taxadas diferentes. Mas não gosto de falar do que não tenho conhecimento. Vou ler a Lei pra ter certeza de que não estou falando besteira. Blz, bom dia pra vc.

Manuel Panhame

Jorge, tenho um pequeno reparo a fazer no seu texto: não entendo que essa jossa se encontrava bem administrada até por volta de 2012. Não. Foi entregue falida em 2011 pelo biônico beocio proprietário de helicóptero. Dr Gilvan, pela pressão da vaidade e do orgulho exacerbado acumulou de dívidas um indigente… O processo, que estava iniciado, desembestou. Silenciosamente, qual um câncer… Só nos resta lamentar.

Rodrigo Valu

Exatamente. Nos seus últimos dias, o zé do pó adiantou cotas e deixou o clube à míngua. Essa situação foi se repetindo até que a corda estourou.

Atleticano

Mas a culpa é do Corona Wagner e Corona Virus…
Deixem quietos esses homens santos que estiveram a frente do clube mais caloteiro do país.
O problema ta só ali, do Wagner pra frente.

Jack

O buraco é muito mais embaixo meus caros. O que o trio maldito fez, a quase totalidade dos clubes brasileiros fizeram/fazem em graus diferentes. Vide Corinthians/Flamengo/Fluminense/ Botafogo/atlético/palmeiras e etc. mas o trio maldito foi além, tanto nã incompetência quanto na má fé. Veja tbm a situação do Barcelona. O Cruzeirão foi pego e os outros não. É um trabalho tedioso mas se alguém se interessar busca na web a evolução das dívidas/patrimônio dos clubes de futebol brasileiro. A curva descendente somente na dupla athletico Pr e Flamengo (este graças ao ex presidente Bandeira de Melo) o resto tudo tem dívida subindo. E olha que Cruzeiro e Atlético já tiveram dívidas perdoadas pelo governo do Estado. O que resultou no América ganhando o antigo campo do Sete de Setembro, porque não devia nada e pediu uma compensação ao Estado. Não estou de maneira alguma defendendo o que aconteceu no Cruzeiro. E melhor passar o que estamos passando e sanear o clube e sair de cabeça erguida sem presença de larápio se práticas imorais.

Jorge

Panhame, você tem razão, pois não me expressei bem e acabei dando uma de Dalai, apontando para os dois últimos responsáveis e esquecendo da prestimosa contribuição do homem do pó.

Na verdade, o que eu quis dizer é que a dívida conhecida do Bbruzeiro àquela época ainda era bem comportada. Provavelmente, não lembro de cabeça, não estava entre as dez maiores do Brasil.

Mas sem dúvida, o homem do pó deixou terra arrasada após sua passagem, o que só tornou ainda mais grave a gestão do Gilvan que, ao invés de tentar sanear as finanças, aumentou ainda mais o buraco.

No fundo, no fundo, a repercussão maior ficou com a gestão Wagner porque nela os efeitos foram plenos. Mas o ‘trabalho’ iniciado pelo homem do pó e intensificado pela gestão Gilvan, sem dúvida foram os grandes responsáveis para o Bbruzeiro chegar onde chegou.

Esse trio, mais o eterno Mitair, são grandes ídolos da parcela de atleticanos que possuem o prazer sádico de zoar o Bbruzeiro. Coisa mais feia! kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

Mecão das Gerais

Dalai, Vítor Roque seria uma revelação do Cruzeiro, ou uma revelação do América, que o Cruzeiro, através de seus polêmicos dirigentes recentes tomou do América de uma maneira, digamos, para não pegar pesado, antiética?

O senhor reclama tanto, Dalai, de Wagner Pires e Itair Machado e suas mazelas que afundaram o seu clube de coração, mas perceba que irônico, foi através de uma grande mazela, também aliviando no termo para não pesado, que esta bela e jovem promessa do América foi parar em seu clube! Pelo menos o Mecão conseguiu recuperar parte do prejuízo e conseguiu obter de volta 35% dos direitos econômicos desta jovem promessa, embora se não fosse por Itair e Wagner Pires, era para termos hoje os 100% dos direitos econômicos deste jogador.

Segue abaixo, reportagem do Superesportes e link:

“CRUZEIRO

Para tirar jovem do América em 2019, Cruzeiro forjou ‘peneira’ e empregou pai como ‘olheiro’ em contrato de quase R$ 1 milhão
Clube também se comprometeu a pagar R$ 500 mil em comissão a André Cury
Tiago Mattar /Superesportes

postado em 14/07/2020 06:00 / atualizado em 14/07/2020 13:59
FACEBOOK TWITTER 86
SIGA NO
google news

Enquanto dívidas cobradas na Fifa batiam à porta, o Cruzeiro se comprometeu a pagar, no início de 2019, durante a gestão do ex-presidente Wagner Pires de Sá, quase R$ 1,5 milhão para ter um jovem de 14 anos em suas categorias de base. Isso é o que aponta uma série de documentos obtidos pelo Superesportes.

Como não poderia ter vínculo profissional com Vitor Roque, a Raposa se utilizou de outro expediente: assinou um contrato de prestação de serviços com o pai do garoto no valor total de R$ 963 mil. A função? Olheiro! A atividade? Acompanhar, quando ele quisesse, nos jogos que ele determinasse, possíveis atletas que poderiam ser captados pelo Cruzeiro.

As cifras não pararam por aí. O agente paulista André Cury, intermediário da negociação, também recebeu uma carta de compromisso de pagamento do Cruzeiro no valor de R$ 500 mil. Cury, que alega não ter recebido nada até aqui, havia assumido o agenciamento de Vitor em novembro de 2018.

A reportagem ainda teve acesso a documentos que desvendam o jogo de cenas feito pela antiga diretoria. A antiga gestão do clube forjou uma peneira para justificar que não estaria “aliciando” o jogador do América. Vitor Roque defendia as cores do Coelho desde 2015 e, de uma hora para outra, deixou o Lanna Drumond com destino à Toca da Raposa I.
Assinatura de contrato
Em 1º de março de 2019, o Cruzeiro acertou vínculo de formação com Vitor Roque, promessa do América, então com 14 anos. O contrato foi assinado por Wagner Pires de Sá.

A vigência do documento vai até fevereiro de 2025. Ficou acordado que o Cruzeiro repassaria ao jogador uma bolsa aprendizagem, praxe em assinaturas de contrato de formação. O clube se comprometeu a pagar, mensalmente, R$830 ao atleta (R$ 50 com plano de saúde, R$ 50 com assistência odontológica, R$ 20 com assistência psicológica, R$ 100 com educação, R$ 300 com alimentação, R$ 10 com transporte e R$ 300 com bolsa aprendizagem).

Se ao fim do vínculo de formação Vitor Roque optar por não assinar o contrato profissional com o Cruzeiro, o atual acordo prevê que ele terá de pagar ao clube 200 vezes o valor gasto em sua formação (cerca de R$ 165 mil, além de uma taxa descrita como ‘convivência familiar’).

Em 1º de abril, o Cruzeiro também firmou um instrumento de vínculo de atleta não profissional até 30 de março de 2022. O documento foi assinado pelo ex-vice-presidente de futebol Itair Machado.
Intermediário
Em 23 de janeiro de 2019, cerca de três meses antes de acertar oficialmente com Vitor Roque, no entanto, o Cruzeiro já havia assinado um compromisso de pagamento de comissão com a Link Assessoria, do agente André Cury. O objeto do contrato era, justamente, a intermediação do acordo com Vitor Roque. Ou seja, o clube já tinha pelo menos indício de que ‘contrataria’ o jogador em meados de janeiro de 2019.

O Cruzeiro comprometeu-se a pagar R$ 500 mil em dez parcelas de R$ 50 mil (entre 15 de março e 15 de dezembro de 2019). O clube poderia parar de transferir o dinheiro a Cury se o vínculo com Vitor Roque fosse quebrado por algum motivo nesse período, o que não aconteceu.

À reportagem, André Cury garantiu que o Cruzeiro atrasou todas as parcelas e ainda não pagou nem um real sequer pelo negócio. “Essa pergunta é uma piada? Não recebi nem desse nem de nenhum outro”, disse. Questionado sobre notas fiscais canceladas emitidas pela Link Assessoria, a que o Superesportes também teve acesso, ele justificou. “Foram canceladas justamente porque eles não pagam. Não entrou pagamento dele (Roque), nem de Zé Eduardo, nem do Maurício, nem de nenhum”, complementou.
Contrato com o pai de Vitor Roque
Cerca de quatro meses após assinar com Vitor e sete meses depois do acordo de intermediação com Cury, o Cruzeiro ainda contratou, em julho de 2019, os serviços da VH Assessoria Esportiva LTDA. A empresa foi aberta em 3 de março, tendo como sócios o pai e a mãe de Vitor Roque, Juvenal Ferreira e Hercília Ferreira.

O contrato foi assinado em 5 de julho de 2019 pelo ex-presidente Wagner Pires de Sá e por Juvenal Ferreira. Um dos agentes de Vítor Roque, Ehler Pessoa aparece nos documentos como testemunha do acordo.

A VH Assessoria teria que prestar, até 28 de fevereiro de 2025 – mesma data do fim do vínculo do Cruzeiro com Roque -, serviços de observação técnica, comparecendo a jogos e encaminhando jogadores ao Cruzeiro. Detalhe: caberia exclusivamente à empresa definir em quais partidas ou quando ela realizaria o trabalho.

Pelo serviço, a VH – que tem as iniciais do nome do jogador, Vitor Hugo Roque Ferreira -, receberia um montante total de R$ 963.997,00. O acordo prevê o pagamento da seguinte maneira:

Uma parcela de R$ 30 mil em julho de 2019
Cinco parcelas de R$ 26.571 entre agosto e dezembro de 2019
Duas parcelas de R$ 16.571 em janeiro e fevereiro de 2020
Doze parcelas de R$ 12 mil entre março de 2020 e fevereiro de 2021
Doze parcelas de R$ 15 mil entre março de 2021 e fevereiro de 2022
Doze parcelas de R$ 17 mil entre março de 2022 e fevereiro de 2023
Doze parcelas de R$ 20 mil entre março de 2023 e fevereiro de 2024

Documentos obtidos pelo Superesportes revelam ainda que a ordem de pagamento a Juvenal foi feita pelo atual supervisor administrativo do Cruzeiro, Benecy Queiroz, ao então diretor financeiro, Flávio Pena, em 15 de julho de 2019. Benecy também havia sido responsável por assinar a carta de compromisso de pagamento a André Cury, formalizada em janeiro.

Questionado pela reportagem sobre sua participação nas negociações, comprovadas nos documentos, Benecy deu a seguinte explicação. “Nem sei ao que se refere isso aí. Eu não posso informar nada sobre isso. Eu não participo desse tipo de negócio. As assinaturas são de encaminhamento e documentação. Essa é minha função”, disse.

“Formatação, o que gerou, o que foi feito, por que, etc, isso não me diz respeito, não é minha função”, complementou. A reportagem insistiu sobre o objeto do contrato do Cruzeiro com Juvenal, uma vez que Benecy foi o responsável por liberar a ordem de pagamento. “Não sei nada disso. Não entro nesse assunto porque não me diz respeito. Eu apenas encaminho a documentação”, reforçou.

(Foto: Reprodução/Instagram)
Vitor Roque ao lado de Ehler Pessoa e com uma camisa do Barcelona autografada por Messi. O presente foi dado por Cury (Foto: Reprodução/Instagram)

Nos documentos obtidos pela reportagem ainda é possível conferir que as notas fiscais da empresa do pai de Vitor Roque eram emitidas pela secretária do escritório de Ehler Pessoa, agente do jogador em parceria com Cury. O Superesportes questionou Ehler sobre seus rendimentos com esse contrato.

“Foi uma negociação que nem fui eu que fiz, foi o André Cury. Como somos agentes do pai do Vitor Roque, ele pede que a gente emita notas fiscais para ele. A gente já faz isso para um tanto de jogador, um monte de empresário, e emitimos as notas para ele como forma operacional”, explicou. “Não cai nenhum centavo desse dinheiro na minha conta. A conta é deles, eu não tenho nada a ver com isso”, garantiu.

Embora tenha assinado como testemunha do contrato entre Cruzeiro e VH Assessoria, Ehler disse desconhecer detalhes do acordo. “Nem eu sei. Pelo pouco que percebo, ele tem muitos contatos, trouxe meninos novinhos de Coronel Fabriciano (cidade do Vale do Aço) ao Cruzeiro.
Não sei se é isso, se não é, mas é um serviço que ele presta. Eu só ajudo a emitir a nota fiscal”, garantiu.
Peneira forjada
Além das altas cifras empenhadas na negociação por Vitor Roque, então com 14 anos, o Cruzeiro fez um verdadeiro jogo de cenas para tentar justificar que não havia assediado o jogador do América. Roque defendeu as cores da equipe do Lanna Drumond até dezembro de 2018 e não apareceu mais para os treinamentos em fevereiro de 2019, quando deveria se reapresentar. Naquele momento, ele já havia acertado com a Raposa.

Em 22 de março, portanto três meses após definir o pagamento de intermediação a André Cury pela contratação de Vitor Roque, o Cruzeiro divulgou em seu canal do Youtube e em seu site oficial um vídeo simulando a realização de uma peneira. Vitor Roque teria sido descoberto nesse evento. Naquela data, porém, o jogador já tinha contrato assinado havia mais de 20 dias.

Além dos documentos, diferentes fontes ouvidas pela reportagem confirmaram que não existiu qualquer tipo de peneira envolvendo Vitor Roque na Toca da Raposa I. Assista, no vídeo abaixo, ainda disponível no canal oficial do Cruzeiro no Youtube, a simulação feita pela antiga gestão do clube.

Responsável por levar o jogador ao Cruzeiro, André Cury também foi questionado sobre a realização da peneira. “Eu vou saber se o Cruzeiro forja peneira? Eu não sei de nada disso. Eu levei o jogador para o Cruzeiro. Tinham um problema com o América lá e depois resolveu. Tem um pacto de cavalheiros, depois eles se acertaram”, afirmou.

Outro agente de Vitor, Ehler Pessoa também desconversou sobre a peneira. Ele afirmou que não pode garantir que foi um evento forjado, mas disse que “quando ele (jogador) chegou lá (Toca I) não fez peneira praticamente nenhuma. Quando o Cruzeiro viu a cara dele, já disse que ele ficaria”. Vale lembrar, no entanto, que naquele momento o contrato da Raposa com Roque já estava assinado.
Batalha nos bastidores
Revoltado com a atitude do Cruzeiro e ciente de que se tratava de um assédio ao seu jogador, o América iniciou uma batalha nos bastidores. Então diretor de base do Coelho, Paulo Bracks – hoje executivo do futebol profissional -, deu declaração forte ao Superesportes em 23 de março de 2019, no dia seguinte à divulgação do vídeo da suposta peneira. “O fato é que o Cruzeiro roubou um jogador da base do América”, disparou Paulo Bracks na oportunidade.

Por conta da ida de Vitor Roque para a Toca I, o América denunciou o Cruzeiro ao Ministério Público do Trabalho em abril de 2019. Paralelamente, o clube contou com o apoio do Movimento de Formação do Futebol de Base (MFFB), formado por coordenadores de bases de clubes do futebol brasileiro. O grupo entendeu que não houve ética por parte do Cruzeiro na condução da negociação com o jovem atacante.

Em 17 de abril do ano passado, já como primeira consequência do aliciamento, o Cruzeiro foi desconvidado da Nike Premier Cup, torneio da categoria sub-15. O impasse entre os clubes foi fator determinante, inclusive, para a não realização da tradicional Taça BH de 2019, torneio disputado por 34 vezes. Embora a Federação Mineira de Futebol (FMF) tenha culpado a falta de datas no calendário, foi a briga entre os clubes de Belo Horizonte o principal motivo do cancelamento da competição.

Depois de muita pressão, o Cruzeiro cedeu e acabou transferindo ao América, em maio de 2019, 35% dos direitos econômicos de Vitor Roque.
Outro lado
Para investigar esse e outros contratos suspeitos nas categorias de base, o novo presidente do Cruzeiro, Sérgio Santos Rodrigues, formou uma comissão. Em 10 de junho, o clube informou que o grupo já havia começado a trabalhar. Os nomes de seus integrantes não foram divulgados na oportunidade.

“O Cruzeiro ainda destaca que, em caso de ilegalidades, as tratativas serão rescindidas unilateralmente e os responsáveis serão denunciados às autoridades competentes”, publicou o Cruzeiro no mês passado.

A reportagem procurou Juvenal Ferreira, pai de Vitor Roque. Ele atendeu ao telefone na tarde dessa segunda-feira e logo foi questionado sobre o contrato de prestação de serviços que assinou com o Cruzeiro em 2019. Ele pediu que a reportagem o procurasse mais tarde e enviasse as perguntas por Whatsapp, o que foi feito. Juvenal, no entanto, não respondeu mais aos contatos até a última atualização desta reportagem.

América se posiciona

Depois da reportagem publicada pelo Superesportes, o América se manifestou por meio de nota oficial afirmando sobre a possibilidade de tomar “medidas jurídicas adicionais” sobre o caso Vitor Roque. De acordo com o clube, o inquérito está em fase de investigação na Promotoria de Justiça de Defesa dos Direitos das Crianças e Adolescentes Cível de Belo Horizonte.

Em relação às recentes notícias envolvendo a saída do atleta Vitor Roque para o Cruzeiro EC, o América Futebol Clube esclarece que já tinha conhecimento da maioria dos fatos divulgados nesta terça-feira, tendo, à época, tomado todas as medidas cabíveis, incluindo pedido de instauração de inquérito civil público junto ao Ministério Público do Trabalho, para apurar possíveis irregularidades no caso.

O inquérito foi arquivado no âmbito do Ministério Público do Trabalho e remetido à Promotoria de Justiça de Defesa dos Direitos das Crianças e Adolescentes Cível de Belo Horizonte, esfera na qual permanece sob investigação.

O América Futebol Clube aguardar o desfecho do caso junto à Promotoria de Justiça de Defesa dos Direitos das Crianças e Adolescente e, diante dos novos fatos que vieram à tona, avalia a possibilidade de tomar medidas jurídicas adicionais.”

https://www.mg.superesportes.com.br/app/noticias/futebol/cruzeiro/2020/07/14/noticia_cruzeiro,3854548/cruzeiro-forjou-peneira-e-empregou-pai-para-contratar-vitor-roque.shtml

Jorge

Essa é apenas uma entre milhares de provas possíveis da desonestidade, da falta de ética e picaretagem que sempre foi a tônica desse clube. Gostam de se passar como ‘raposa astuta’ e acham bonito esse comportamento. Até que ele se volta contra eles mesmos e aí reclamam como se não fosse apenas a lei do retorno cobrando seu preço. Merecem cada gota de sofrimento pelo qual estão passando!

Augusto

Novo hino :

Existia um timeco na cidade
que dizia ser o grande campeão
ficou cheio de arrogância
Hoje só joga a Segunda Divisão

Nos gramados de Minas Gerais
quem comanda é o Galo e ninguém mais

Yale,Palestra,Bruzeiro
troca de nome mas não sai do atoleiro.

Jack

Não disfarça não aigustin, vc sabe cantar o hino do Cruzeirão. Confessa.

Manuel Panhame

Augusto, mesmo eu sendo historiador gosto, aprecio muito o presente… Tenho uma versão desse “hino” num tempo mais atual… Curta…
“Existe uma grande merda na cidade
Que acha que é de primeira divisão
Meu Deus, mas quanta ingenuidade
Pois na realidade é um time de bundao
É a vergonha de Minas Gerais
Uma bosta, esse time é ruim demais
Cuzero cuzero vencido
Eu nunca vi timinho mais fudido”
Kkkkkkkkkkkkkkkkkk

Augusto

Com certeza essa versão espelha melhor a realidade.
Parabéns!

Jack

Tô falando? É historiador e pesquisa o hino do Cruzeirão. Ainda que tenha deturpado a letra, conhece a métrica e até a melodia. O Cruzeirão mora no imaginário das frangas.

Jorge

Eu acho que com o fim do Bbruzeiro velho e o início do Bbruzeiro novo esse é um bom momento para dar uma melhorada naquele hino horroroso que eles têm.

Eu não tenho muito jeito para essas coisas, mas usando a filosofia do Tiririca, segundo a qual, ‘pior que tá, não fica’, vou tambem dar minha humilde contribuição para a nova versão do hino do Bbruzeiro novo.

E acho que quem tiver outras sugestões poderiam postar aqui. Quem sabe o Bbruzeiro não se anima a fazer um concurso para escolher o novo hino? Tenho certeza que os Atleticanos vão fazer o que for possível para ajudar.

Eis minha versão:

Existe um grande mico na cidade
Que faz vergonha pro meu coração
Eu vivo cheio de vaidade
Pois na realidade eu não passo de um bobão

Nos gramados de Minas Gerais
Temos páginas anedóticas e imorais
Bruzeiro, Bruzeiro ferido
Tão mal gerido, nunca o preferido.

Jack

Faz me rir. Floyd explica: isso é uma progressão gerada por um desejo intenso reprimido de torcer pro maior de minas. Resultado: externa como desdenho. Se brincar não sabe cantar o hino do time que diz torcer. Haja manicômio.

Jorge

Pára de se olhar no espelho e se achar bonita! Chega de vaidade!!! Você não percebe que a gente está aqui ridicularizando ainda mais vocês? Como se isso fosse possível!!!

Jack

Jorginho, eu não sou da sua turma não Lourdinha. “A gente está aqui ridicularizando ainda mais vcs?”. Really? Acho que eu perdi essa parte. Tô vendo um bando de franga frustrada mais empolgadas com o Maior de Minas do que com o Time sem bi.

Jorge

Nossa Maria, tem dois anos que vocês estão sendo ridicularizadas, não só por Atleticanos, mas também pelo Ibis, CSA, CRB e tantos outros e você vem dizer que perdeu uma parte? Tudo bem, mas e o resto? Já não seria sificiente? Você quis dizer “onde eu perdi a melhor parte?” Seria quando a Fé fugiu do estádio ao descobrir que o ‘incaivel’ estava desmoronando? Será quando o Ibis chamou para um desafio e o Bbruzeiro arregou? Será que a melhor parte foram os últimos nove ‘novos clássicos’ contra o CSA? Tem muita coisa vexaminosa para ser a parte que você perdeu. Só procurar.

Mas acho que você não gostou da versão do hino do ‘novo Bbruzeiro’. Então vou tentar outra versão, mais realista:

“Existe um grande mico na cidade
Que faz vergonha pro meu coração
Eu vivo cheio de vaidade
Pois na realidade eu não passo de um bundão

Nos gramados de Minas Gerais
Perdemos para o CRB, o CSA e outros mais
Bruzeiro, Bruzeiro ferido
Extrupiado, todo fudido.”

Jack

São momentos meu caro. Míseros momentos se comparados à nossa história escrita com a pena da excelência e competência esportiva. Pena muitas vezes arrancada do fiofó de um franga vizinha que, apesar de mais tempo na estrada, apesar de tentativas frustradas, nunca chegou aos nossos pés. Como se sente ao saber que, apesar do nosso mau momento, mesmo que vcs conquistem tudo ainda estarão tão distante de nós quanto a galáxia de Andrômeda? É muita pequenez. Só lhe resta passar o seu domingo trocando as letras do nosso hino em mais uma busca frustrada de satisfação, pois no fundo sabe qual é a sua turma e o sofrimento volta não é mesmo?

Jorge

kkkkkkk. Essa Maria é cômica. Ou masoquista, sei lá! Quer falar do passado? Vai discutir com o America, decacampeão sei lá do quê! Quer falar do presente? Grande vitória contra o Coritiba! Uma página ‘heroica e imortal’ contra o líder da série B! É o máximo que terá um time que sonhou ser grande, porque bafejado por uma sorte passageira, e, cheio de vaidade, não percebeu que era minúsculo e que os seus ‘méritos’ era apenas a corda para melhor se enforcar. Lembre-se sempre, Maria: Time grande cai, sim. Mas time pequeno não sobe! Boa série B em 2022. E também em 2023, 2024, 2025… Vocês merecem!

Jack

Lá vem de novo as frangas visionárias. Só sabem conjugar os verbos no futuro. Sabem de tudo que vai acontecer. Mas eu entendo, não têm nada pra comemorar no passado e nem no presente. Então apelam pro futuro. É a projeção. Uma coisa me chama a atenção: vc sofreu muito com o Cruzeiro não foi? Pra quem se diz torcedor do outro time conhecer a letra do nosso hino a ponto de fazer menção em seu comentário, se ocupar em saber as notícias do meu time em pleno domingo é sinal de que ou vc ou não tem nada pra fazer ou não consegue tirar o Maior de Minas da sua cabeça. O que será? Eu acho que são as duas coisas.

Manuel Panhame

Jack, ou talvez Edgay Fields, o Carcará, o Floyd não explica nada. A temática do Pink Floyd sempre foi abstrata, subjetiva… Talvez vc quis se referir a um amigo pessoal meu, Mestre da psicanálise, nos dois tendo por algum tempo compartilhado o mesmo quarteirão, em Viena…

Jack

Mané, vc deve estar me confundindo com algum amigo seu atleticano. O que muito ofensivo. Por favor retrate-se! Eu já abri mão da sua contribuição social como educador, mas além de tudo fica fazendo apologia à pederastia? Tenha santa paciência. Quanto a Floyd, não me referi à banda (muito boa por sinal) mas ao Sigmund. Se vc conhece o trabalho dele vai entender perfeitamente que o caso de vcs nada mais é do que um complexo de Édipo mal resolvido (o caso do Jorginho é um pouco mais grave, já beira o transtorno de personalidade). De qualquer forma, ele explica, se vc quiser entender.

Manuel Panhame

Tá bom, Jack, explico. E vou fazer devagar, em termos claros, como um bom educador. Supus que vc fosse o Edgar Campos, um CRUZEIRENSE do blog, que infelizmente se afastou daqui. Por que confundi vc com ele? Ele tinha a mania de se expressar em inglês, exatamente como vc fez naquela resposta endereçada a mim na ocasião que levantei a suspeita… Sendo como for está suspensa sua expulsão do blog, sinta-se à vontade entre nós, Atleticanos, donos, proprietários não só do blog, como também do inteiro Estado… Um abraço fraterno, Jack… Jack-in-the-Green… Vamos ver se vc decifra esta… Se conseguir, o kaibbuloso sobe e deixa de ser kkkkkkkkkkkkkaibbbuloso…

Jack

Meu caro Manuel, obrigado pelo tom amistoso. Mas ao notar a grafia do nome com que me associa pude perceber a sua brincadeira. No mais, tá tudo muito bem e vamos em frente. Qto aos Atleticanos tudo normal. Minha família é dividida entre cruzeirenses e atleticanos, com supremacia cruzeirense, e nós nos damos muito bem. Discordo qto ao dono do estado mas tudo bem. Entendi o seu trocadilho. Então vou te mandar outra, ja que vc gosta de inglês: which soccer Jersey is internationally recognized because it’s symbolic stars are present in various national flags around the world and in Brazil’s army stamp? Se vc for realmente um educador, saiba que eu verdadeiramente valorizo e respeito sua profissão, já que acredito que a educação é a única saída pro nosso querido Brasil que deveria figurar entre as principais potências mundiais e só não o faz pelo despreparo do povo. Com certeza um dia chegaremos lá e a sua profissão é chave. Até.

Bernard Assis

Difícil acreditar que torcedores azuis caem nesta de que apenas transformar o clube em SAF – Sociedade Anônima de Futebo -l será a panacéia tão aguardada. Sugiro a vocês assistirem ou lerem entrevistas do economista Cesar Grafiete, onde ele expõe sobre este assunto. O fato do clube se tornar empresa tem armadilhas tanto ao possível investidor quanto ao clube. Para o primeiro, o clube permanecerá controlado pelo Conselho. Para o time de futebol, uma SAF seguirá regras de governança corporativa que exigem critérios rígidos de controle de gastos e transparência. Isto sem levar em conta que o presidente do país vetou a parte dos incentivos fiscais que poderiam facilitar a vida de uma SAF. Como disse um grande empresário, mais importante do que vira SAF é implantar a administração sólida e ter um conselho realmente confiável. Já pensaram nesta tal “família união” controlando uma SAF com milhões vindo de investidores dispostos a ajudar o Clube?

Atleticano

Só não concordo que é difícil acreditar que eles caem nessa, porque é muito fácil acreditar no que lhe convém.
É o que resta a essa gente… Estamos aqui pra acompanhar a história.

Jack

Senhor Dalai, eu tenho uma pergunta que muita gente me faz frequentemente e que eu realmente não sei o que responder: porque o Cruzeiro não expulsa todos os envolvidos nas falcatruas apontadas na última administração? Eu sei que o Serginho já saiu, que está marcada uma reunião pra expulsar o Wagner mas e o resto? O estatuto amarra essas tomadas de decisão? Porque, veja bem, seria de enorme ganho pro clube se ver livre desses trastes e, ao mesmo tempo, admitir nas suas fileiras gente nova e com mentalidade de ajudar o clube. Qto mais esse pessoal ficar no clube pior.

Atleticano

Até eu que não sou cruzeirense sou capaz de responder essa, muito fácil:
Porque todos os envolvidos nas falcatruas apontadas continuam dentro do clube, mandando e desmandando. Essa gente sempre fez parte e construiu o clube na base disso, falcatruas.
Se eles saírem o clube acaba. As pessoas responsáveis pelas falcatruas são o clube.

Jack

Olha, brincadeiras a parte, pra falar do caráter de outras pessoas é preciso ter cuidado. Concordo sim que tem gente desonesta ali, justificando que ninguém se levantou pra ( ou melhor, tiveram alguns conselheiros dando declarações contra o Presidente e fazendo campanha contra) combater. Mas, a menos que vc tenha provas, generalizar e atentar contra honra de pessoas seria irresponsabilidade. Mas, por outro lado, o que aconteceu no clube exige indignação e medidas drásticas pra botar as coisas no ligar. Isto eu não estou vendo, infelizmente.

Teobaldo

Porque o rabo preso não deixa! Seria muita ingenuidade nossa achar que somente os ladrões se beneficiam do produto do roubo.

Jack

Exatamente onde eu queria chegar! Essa é exatamente a ideia que passa pra quem está de fora. Por isso urge a tomada de atitudes contra quem quer que tenha cometido esses crimes. E ainda trazer a público pra mostrar que o Clube tá saneado. Eu sei que estou falando de fora e que não tenho todas as informações pra opinar com propriedade sobre o assunto. Mas esse Presidente do gel não está agindo e não está passando a confiança de que vão agir. Assim, todos, especialmente aquela turma que nunca comemorou o mesmo título duas vezes, vão propagar, como propagava Hitler em relação aos Judeus, exatamente a ideia que mais lhes convém e que se torna indefensável, haja visto que o desvio de conduta parte de dentro da nossa instituição. Não há outro caminho, precisamos separar o joio do trigo e o quanto antes melhor.

Itamar

O Que será que o Leo Gamalho faria com o cruzeiro que as crianças não poderiam ver?

Jack

Leo quem?

Augusto

Agora vai!…………
ficar na segundona mais um ano!
E vale a pena lembrar:
Time pequeno não SOBIS tão cedo!