FUTEBOL, CORAGEM E CARÁTER

  • por em 16 de setembro de 2020

Gustavo Aleixo/Cruzeiro E.C./Flickr

Este caldeirão de paixões, muitas vezes cegas, onde “convivem” cruzeirenses e atleticanos, passou a ter temperatura de Cuiabá nas últimas 48 horas, com o inacreditável anúncio da contratação de Thiago Neves pelo Atlético. A primeira reação uniu os dois lados: ninguém acreditou! Por várias razões, TN que chegou muito bem ao Cruzeiro, não saiu bem. Deixou mágoas pesadas, que nos machucam até hoje.  Lesionou também o outro lado, pelas comemorações consideradas ofensivas pelos atleticanos. 

Em suma: pelo menos por enquanto, Belo Horizonte deveria ser a última opção de TN mas, corajosamente, ele teria aceitado voltar. Fica lançado um desafio de “alongamento do cérebro”, como diz o Faustão, para nós e para eles: imaginar como seria a vida de TN aqui, neste retorno, sabendo-se que ele gosta, e muito, da noite. Haveria um restaurante, uma boate, uma praça pública “tranquilos”, ou seja, sem nenhuma ameaça de cruzeirense ou atleticano?

Consultando o nosso arquivo sentimental na pasta de transferências realizadas DENTRO do caldeirão, encontramos um monte de heróis consagrados com as duas camisas. O mais recente, “nosso” goleiro Rafael. Não foi fácil vê-lo do outro lado, mas nas circunstâncias, imprevistos, urgências, pressões em que se concretizaram os fatos, não podemos condená-lo. Ele deve continuar merecendo o respeito azul, na minha opinião.

Dentre outros que, pelo futebol, coragem e caráter garantem até hoje e sempre lugar de honra tanto no Barro Preto como em Lourdes, estão Procópio Cardoso (como jogador e técnico), Reinaldo, Nelinho, Palhinha, Eder Aleixo, Luizinho, Guilherme, Cleber (zagueiro) e Mussula. 

Denominador comum de todos eles: classe. Dentro e fora de campo!

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do Portal UAI.

All Comments