HOJE, SÁBADO AZUL

  • por em 1 de agosto de 2020

Bruno Haddad/Flickr/Cruzeiro

Você sabe: há cinco anos, um inspirado grupo de torcedores imaginou dedicar um dia, todo mês, para celebrar o privilégio de sermos cruzeirenses. Foi escolhido o primeiro sábado, logo batizado de SÁBADO AZUL para espalharmos nosso orgulho e, principalmente, promover a confraternização celeste em todas as regiões mineiras, onde temos 70 por cento da torcida, e em qualquer outra parte do Brasil ou do mundo, onde pulsem cinco estrelas dentro de um coração.

Duas são as chaves para integrar o Sábado Azul: estender a nossa bandeira na fachada da casa ou do apartamento, marcando território, e sair às ruas envergando a camisa mais bonita, entre todas as demais dos times de futebol. Espantado com esta afirmação? Você conhece alguma mais bonita?

Nas ruas, avenidas, bares, shoppings, o encontro de um companheiro também envergando o manto azul deve obrigatoriamente resultar numa saudação e, se possível, numa aproximação, com a troca de ideias sobre o Clube, críticas, elogios, expectativas para os próximos desafios. Enfim, a exteriorização de uma realidade: é muito bom ser cruzeirense.

Hoje, no pico da pandemia do Coronavirus, não podemos nem devemos sair de casa. Locais habituais de lazer continuam fechados, para preservar vidas. Mas a imaginação pode voar. Se não podemos colorir as ruas e praças de azul, vamos colorir os nossos grupos sociais. Vista a sua camisa estrelada, tire uma foto e espalhe nos grupos, sem se esquecer de mandar uma para mim.

Em cada foto recebida neste Sábado Azul, a alma do cruzeirense estará lendo só uma legenda: VAMOS RECONSTRUIR O CRUZEIRO!

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do Portal UAI.

All Comments