HORA DA VERDADE NO DIA PRIMEIRO DE ABRIL

  • Avatar
  • por em 28 de março de 2021

Gustavo Aleixo/Cruzeiro/Flickr

Quinta-feira, contra o Tombense, a esperança é que um novo Cruzeiro retorne ao Mineirão, após uma quinzena de treinamentos, experiências, palestras, vídeos explicativos, gráficos de desempenho, debates sobre erros frequentes. Não aguentamos mais ver tempo inteiro sem um chute a gol; Não aguentamos mais ver a falta direta no adversário como primeira opção de nosso time para o desarme; Não aguentamos mais ver tantos passes errados, lançamentos a esmo, escanteios e faltas atirados infantilmente no lixo. Chega de mais do mesmo!

Dia 28 de maio vamos estrear na Série B, em Aracaju, Sergipe, contra o Confiança. Como estaremos? Dependerá de como vamos retomar o campeonato mineiro nesta quinta-feira. Não há milagres se você não faz minimamente a sua parte. Já ultrapassamos há muito tempo nossa margem de erro.

Ainda mais com a maratona de jogos que teremos em abril.

O jogo de quinta-feira e os próximos, um valioso spoiler da atuação do Cruzeiro na Série B. Seremos felizes ou vamos, de novo, respirar por instrumentos?

BATE PAPO NO QUINTAL

1 Juliano Damien, após ampla e objetiva análise de nosso time, bate na tecla principal: “caberia maior constância nas escalações pra gerar mais confiança nos atletas além de se chegar a entrosamento mais rápido”. Esta é a chave, Juliano. Felipe Conceição afirmou recentemente que “já aprendemos tudo que tínhamos de aprender com os nossos erros.”. Tomara. Está passando da hora de sabermos, de cor, o time titular.

2. Galo Doido New York, disputando com Cem Paciência quem será o novo roteirista de A Praça é Nossa. Muitas piadas (algumas boas, de fato) contra o Cruzeiro, aproveitando a fase difícil, de pragas sucessivas, que atravessamos. Como tenho falado, aproveitem ao máximo. Vai passar mais cedo do que vocês imaginam.

No truco, quando o cara blefa e, sem cartas, aceita um “vale 6! ” é comum dizer que ele “errou a hora de ir ao mandiocal”. Esse lamentável deslize foi cometido ontem por Galo Doido e Cem Paciência: cismaram de falar sobre as dívidas do Cruzeiro e, à tarde, foram impactados na raiz da alma com a revelação: Dívida do Atlético ultrapassa o bi.

3. lúcio soares aplaude nosso recado a Felipe Conceição, clamando também por jogadas ensaiadas, treinamentos especiais para escanteios e faltas. Em suma, um time determinado que saiba aproveitar pelo menos 70 por cento das potencialidades surgidas durante uma partida.

4. guioday rodrigues detona as esperanças azuis: sem time e com um treinador que jamais ganhou algum título. Calma, guioday. Felipe Conceição não tem 50 anos de carreira. Não tem esse tempo, nem de idade. Mostrou competência exatamente na área que mais precisamos: recuperação de equipes na Série B.

5. Sem Paciência, na linha de guioday, faz um roteiro de trem fantasma para o Cruzeiro. Nosso sofrimento de hoje se deveria a mazelas de ontem. O passado de falcatruas estaria cobrando o preço…

Meu caro condômino, um pouco de paciência não lhe faria mal. Procure nos conhecer melhor. Reveja, com um mínimo de isenção, o histórico de conquistas fantásticas, justas, merecidas, honestas neste meio século. Destaque especial para 6 x 2 no Santos de Pelé, fora o show! Na época, o Santos era para muitos o melhor time do mundo. Já pensou o que sentiriam, com o Atlético vencendo por 6 x 2, no Mineirão, o Bayer de Munich, o Barcelona, o Real Madrid ou o PSG?

Agora vocês entendem? Ou vão esperar passar no Netflix?

Este nosso drama atual, causado pela sucessão de dois Covids, não apaga páginas heroicas, imortais. O patrimônio metafísico. Nem as nossas digitais de time vencedor.

Voltaremos.

6. Maurício x Pottker. A troca foi feita com o Internacional, sob o patrocínio entusiasmado de Felipão, que dirigia o Cruzeiro. Fora a diferença de idade, os dois mais ou menos se equivaliam naquela oportunidade. Hoje, porém, Maurício encanta os gaúchos com ótimas atuações e Pottker ainda não se explicou, aqui. Esse descompasso, tão natural em permutas assim, pode ser episódico, sujeito até a inversões, mas abre temporada aos costumeiros, insuportáveis e irritantes profetas de guerra acabada e engenheiros de obra pronta: críticas e mais críticas (AGORA!) à troca dos jogadores.

7. Rei Melo bate com força: “Nem acreditei que o senhor pelo menos uma vez escreveu sobre o time de futebol…” Mesmo achando que “esse time é péssimo”, Rei Melo colabora com Felipe Conceição e salva 8 titulares: Fabio, Manoel, Cáceres, Adriano, Marco Antônio, Matheus, Moreno e Rafael Sobis.

Eu acrescentaria Claudinho.

8. Nonoca está voltando com missão impossível: quer ser chamado agora pelo próprio nome: Lucas Ventura.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do Portal UAI.

All Comments