LIBERTADORES PELA TV

  • por em 13 de maio de 2021

Bruno Haddad/Cruzeiro/Flickr

O que os atleticanos sofreram tantas vezes – participar da Libertadores só pela TV – acontece agora com o Cruzeiro e a gente continua estranhando, por falta de costume. Há décadas éramos protagonistas do futebol na América do Sul e liderança inconteste, no Brasil, fora do eixo Rio-São Paulo.

Difícil, agora, assistir sorteios de grupos e não ver entre os escudos participantes as cinco estrelas azuis de tantas glórias. O Cruzeiro era tão grande que foi preciso dois Coronavirus para derruba-lo: primeiro, o Corona-Wagner e Cia. ilimitada; depois a pandemia mundial que até hoje desnorteia os países, a indústria, o comercio, os esportes, arrasando a economia. Era neste segundo cenário que o Cruzeiro tinha de se recuperar do primeiro tsunami. Não conseguiu. Duvido que outro grande Clube, Flamengo, Corinthians, Palmeiras ou São Paulo, sofrendo aquela corrosão de cupim-gigante em suas entranhas, conseguisse recuperar-se no mundo aprisionado pelo COVID-19.

É isto que estamos passando. É esta terrível situação que impõe aos atuais dirigentes uma dosagem extra de inspiração, esforço, sacrifício e, especialmente, transparência porque, para piorar, a casa ainda não está limpa. Há sujeiras, até ostensivas, o que continua dificultando em muito a reconstrução.

É preciso coragem para ser Cruzeiro!

BATE PAPO NO QUINTAL

1. Blogueiro fora de combate – Acusado, quase sempre com razão, de ter visão distorcida sobre os fatos que comenta, o blogueiro finalmente será submetido hoje a operação de catarata, ficando fora deste QUINTAL por alguns dias.

Pra conservar o cachê na família, terei o privilégio de ser substituído pelo meu filho Fernando Rocha, um histórico vitorioso na cobertura esportiva, que surgiu em BH, passou por Recife, Rio e sedimentou-se em São Paulo. Palestrante motivacional. Autor de livros. Mas que brilhou mesmo foi na Dança dos Famosos, embora até hoje confunda o pé direito com o esquerdo.

2. Inter-temporada-temporada. Após folga na segunda e terça-feira, o Cruzeiro iniciou ontem uma “temporada” absolutamente fora de tempo, mas que temos de aceitar goela abaixo, porque desclassificados do campeonato mineiro e fora da Libertadores. Um vexame anunciado, consequência de fatos conhecidos e lamentáveis. O lado bom: quase três semanas pra Felipe Conceição separar o joio do trigo.

3. Eduardo galão da massa, sutil, comendo pelas beiradas, ameaça tirar de João De Deus Filho a faixa de Guru da Racionalidade:

“O que vocês estão passando agora, nós já passamos em um passado não tão distante. ”

Lembra erros de arbitragem que tiraram títulos do Cruzeiro como também do Atlético.

E, com toda razão do mundo, pergunta se os americanos têm direito de soltar foguetes quando o time vence.

Claro que têm. E com todo merecimento.

Agora vou ter de apelar para o algoritmo, física quântica, leitura de fumaça e Mãe Dinah pra distinguir os foguetes atleticanos. Mas que existem, existem.

4. Rei Melo, fazendo coro com as duas últimas colunas, pede o que milhões de torcedores esperam de Felipe Conceição: terminada esta inter temporada, não venha, por favor com os mesmos reservas. Não são nem zeros à esquerda, porque estes não alteram nada. No nosso caso, só pioram.

E dá uma dica valiosa para Felipe Conceição: Sóbis de armador. Também gostaria de ver.

5. lúcio soares aciona a sirene de perigo:

“Como previsto, o Cruzeiro não conseguiu vencer o América. Pior, fez um jogo muito abaixo de um time que já deveria estar pronto, tanto para enfrentar o Juazeirense e, pela série B, o Confiança. Não estamos! Não temos força ofensiva e nossa criação é pífia! ”

Alguém pode discordar?

6. Mecão das Gerais deixando claro que entrou na disputa do TBSQ – Troféu Bom Senso do QUINTAL. Faz análise objetiva do jogo, reconhece os méritos do Cruzeiro, naquele já saudoso primeiro tempo, e depois, com todo direito do mundo, deita e rola. Amassa a previsão do Blogueiro de que poderíamos fazer 4 a 1 naquele tempo, garantindo a classificação, porque ainda faltavam 45 minutos. Muita coisa poderia acontecer.

“Além do mais, o “se” não entra em campo e também hoje é difícil acreditar que o Cruzeiro golearia o América, por melhor que jogasse! Não seria impossível, mas improvável como você mesmo gosta de falar. ”

Quero pedir ajuda dos universitários, pra responder ao Mecão das Gerais.

7. JCSR curto e grosso:

“O treinador não demonstra conhecimento do time nas substituições que faz. O time sempre piora. Tem agora cerca de 2 semanas para ajustar a equipe. Que venham mais 2 ou 3 reforços para serem titulares. ”

Assinamos embaixo.

8. Galo Doido New York que, não se sabe por quais razões (às vezes é melhor não saber), mantém linha direta com Mãe Dinah, carrega nas cores escuras ao pincelar o futuro do Cruzeiro. Porém, sem querer, acaba nos dando um alento. Confira-se:

“Não deixei de apoiar o Galo, quando este estava na SEGUNDONA mas, porém, todavia, entretanto, o Galo não permaneceu rebaixado por dois anos, tampouco teve um time tão ruim como o FALIDÃO AZUL de hoje. ”

Meu caro Galo Doido, como é do conhecimento geral, a queda do Cruzeiro para a Série B foi resultado direto do Corona-Wagner. No início de janeiro de 2020, promovia várias e entusiasmadas reuniões com o Marketing, planejando uma reação que marcaria a história da B, quando surgiu a pandemia arrasando o mundo, parando tudo. Por isso já defendi aqui neste QUINTAL que o Cruzeiro é um injustiçado. Por esta coincidência de desastres merecia tratamento que se dá a vítimas. E segue sendo tratado como marginal. O fracasso na tentativa de acesso à Série A era assim uma tragédia anunciada.

Imagine um grande Clube no lugar do Cruzeiro, passando exatamente por tudo que ele passou. Subiria?

Enquanto isto, em 2006, ano em que o Atlético, na B, lutava para o acesso, a economia brasileira em franca expansão, subia de 2,9% para 3,7%, com o PIB brasileiro atingindo R$ 2,3 trilhões.

Tem termo de comparação?

9. João De Deus Filho, nosso guru da racionalidade, encosta o blogueiro na parede e golpeia:

“Você realmente acredita que a torcida, patrimônio maior de um clube, vai conseguir ficar sofrendo tudo o que está passando, se essa situação persistir por mais 2 ou 3 anos? ”

João, paixões são várias e mutantes, desde antigamente, colecionar selos, a vinhos e orquídeas. Muitas mudam de roupa.

Não a paixão por um Clube. Não se troca de camisa.

Você se admitiria deixar de torcer para o Atlético?

O cruzeirense está aprendendo a sofrer, resistir e reagir. As frentes de batalha não estão apenas nos campos de futebol e é isto que torna a luta mais difícil. Mas já há sinais de melhora.

Vamos vencer!

10. Luiz Antônio Lopes Barcelos, corajoso, joga três litros de água fria na fervura atleticana. Primeiro litro: Atlético é o clube brasileiro que mais deve, chegando a 1 bilhão e 200 milhões de reais; Segundo litro: Em 2020, já na Série B, o Cruzeiro arrecadou, em patrocínios, mais que o Atlético, sendo superado apenas por Palmeiras, Flamengo e Corinthians; Terceiro litro: Ainda em 2020, o Cruzeiro tem mais sócios-torcedores do que o Atlético.

Contra fatos há argumentos?

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do Portal UAI.

All Comments