NADA MUDA SE VOCÊ NÃO MUDAR

  • por em 6 de fevereiro de 2021

Bruno Haddad/Cruzeiro/Flickr

O ESTADO DE MINAS de ontem notícia uma revolução física e estrutural do Cruzeiro: mudança, já a partir da próxima semana, da sede administrativa para o prédio do Shopping Boulevard, na Avenida dos Andradas, e a reformulação da comissão técnica fixa, saindo Célio Lucio e entrando Belletti que deixa a diretoria de negócios internacionais.  Celio voltará às divisões de base, cuidando da transição de atletas para o profissional.

Com a mudança de endereço, espera-se economia anual de 2 milhões de reais, além da receita resultante da locação do prédio da Rua Timbiras.

Tomara que dê certo. E pode dar, tanto na mudança de CEP quanto na principal, que é a parte técnica, apesar da impropriedade de Belletti em postar logo ontem, em seu site, que recebeu a licença Pro de treinador na CBF e deseja atuar no campo.

O que se espera é que jamais atue como “pessoa da minha confiança” minando a autoridade do treinador e de sua equipe, tipo Deivid. Isto nunca dá certo. A torcida é para que Felipe Conceição não transija, o mínimo que seja, da autoridade que deve e precisa ter na formação e no comando da equipe. Que detecte e extinga, a ferro e fogo, panelinhas em formação. O Cruzeiro não aguentará outro fracasso por imprudências administrativas. Tanto mais que, como se sabe, uma das mais eloquentes provas de ignorância é, repetindo os mesmos atos, esperarmos resultados diferentes.

Mais importante que essas profundas mudanças de estrutura anunciadas para a próxima semana, será a mudança interior, de nós mesmos. Nada muda, de fato, se a gente não mudar.

BATE PAPO NO QUINTAL

1 Jorge faz um retrospecto, infelizmente verdadeiro, de nossa expectativa com a Série B. A gente estava mesmo otimista. Mas o duplo Corona nos derrotou. Corona Wagner, seguido de Coronavirus derrubaria qualquer Clube. Com certeza, a nossa torcida em campo, não perderíamos tantos pontos em casa. Mesmo com o time fraco, a força da Nação Azul seria o 12º. jogador, motivando vitórias. Agora, é lógico, não adianta chorar leite derramado. Estamos comendo o pão que o diabo amassou. O que nos reanima é um alento, de vez quando. E vem, às vezes, de onde menos se espera. Como de Goiás, quarta-feira. Outro consolo, atleticanos nos dão sempre. Como você, Jorge, ao nos brindar com esta preciosa confissão subconsciente:

“O cruzeirense vive o Galo o tempo todo…”

Sim. O tempo todo, nos últimos 24 meses. É horrível. O exemplo vem de vocês mesmos, suportando um bullying de meio século, com raríssimas exceções. Meu caro Jorge, de certo modo, só agora vocês estão encontrando vida própria. É direito seus. Vivam a vida.

Mas se preparem porque, daqui a pouco, Cruzeiro e Atlético voltam a seus devidos lugares…

Quanto Cristalina do Picão vê-se que você e Sem Paciência não conhecem um dos melhores lugares de Minas: Martinho Campos, “Badia” para os íntimos, pouco além de Pará de Minas, vizinhando com Abaeté e Pompéu. Cristalina do Picão divide com a Farrista e a Ligurina o título de melhor pinga da região.

2 Marcelo, a torcida do Cruzeiro, como sempre lembro aqui, foi a responsável pela revolução branca de dezembro de 2019. Pelo tanto de apoio que recebi dela, aceitei o desafio de abrir este QUINTAL tentando devolver um pouco daquela motivação. Continue me ajudando.

3. Galo Doido New York continua disputando com Sem Paciência e Jorge o título de “Melhor Pérola do Ano”. Seu último lançamento é fortíssimo:

“Espero que o blogueiro entenda e comece a falar sobre o futuro, pois o passado fica bem melhor em museus…”

Não! Por favor! O passado de um Clube, meu caro Galo Doido New York, fica melhor ainda em sala de troféus! Isto é que vocês não suportam. Este passado fica sempre presente. Até o mais recente. Viu o que a Conmebol fez?

4 João de Deus Filho, achamos algo em comum; também eu, quando preciso separar assuntos uso o mesmo esquartejador.

Primeiro – Você acredita mesmo em domínio longo do Atlético com essas contratações estratosféricas? Você acredita em almoço grátis? Que o sargento Garcia vai pegar o Zorro? Sonha, sonha Marcelino…

Segundo – Seus dois amigos cruzeirenses podem ter deixado de comentar sobre o Clube. Natural. Muitos estão assim, pela fase que atravessamos. Mas alma e coração continuam azuis. Estão apenas hibernando.

Terceiro – Aqui, contraditoriamente, uma elogiável confissão da superioridade do Cruzeiro sobre o Atlético, atestada nesta semana pela Conmebol, e uma inesperada fuga para o mundo da fantasia onde imaginou jogos incríveis “ganhos” pelo seu time, “um por 9×2 e algumas vezes de 6×1…”

João de Deus, caia na real. Momentaneamente, a coisa está feia é para o Cruzeiro. Não precisa fantasiar.

5 Luiz Antônio Lopes Barcelos, neste deserto que somos forçados a atravessar agora, oásis nos aliviam de vez em quando, inesperadamente. Às vezes vêm de Goiás, Outras da Conmebol. Somos grandes. E como você adverte: “Não basta participar, tem que se destacar com vitórias e títulos. ”

6 jones augusto, terei o prazer e a honra de pedir ao dr. Sandro Gonzales que entre em contato com você para debaterem planos de reconstrução do Cabuloso.

7. Sem Paciência, desculpe-me, mas ao me referir a cloroquina, fui apenas sem sorte pretendendo construir uma frase criativa. Não tive, nem poderia ter outra intenção. Mesmo com toda baixaria que de vez em quando cai neste QUINTAL, ele não merece ser invadido por esta discussão sem sentido que domina grupos de brasileiros, cada qual convencido de que é o detentor único da verdade. 

Sem Paciência, Bruno Voltei e Augusto, por favor, vamos continuar com as divergências que só o futebol transforma em convergências. E ao invés de afastar, aproxima.

8 Jamicel, concordo com você ao se referir ao expurgo pelo qual passam os atleticanos após reprimirem por 50 anos tanto ódio, mágoa, rancor. Estavam no “segue o líder”, tripudiando a gente. Depois começaram os tropeços, como o de Goiás, na quarta. Em seguida, vem a Conmebol e proclama: O Cruzeiro é o maior de Minas. Agora apelam até para o incrível Hulk. Nesse caso a força bruta resolve?

9. Censura? Preparava esta coluna, ontem à noite, quando surgiu a observação de Jorge de que seu comentário postado quinta-feira, havia sido retirado. Até por volta de 18h de sexta o texto, muito bom por sinal, estava lá e foi relido por mim, para comenta-lo. Então não poderia ser censura. Estou pedindo a quem entende de Internet que apure o ocorrido e, recebendo a informação, será divulgada.

Mas, Jorge, censura, nunca

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do Portal UAI.

All Comments