NEM O SOL QUER SAIR NESTA MANHÃ

  • por em 21 de agosto de 2020

Bruno Haddad/Cruzeiro/Flickr

A noite de ontem deveria ser apagada. A madrugada também, quando a China Azul trocou o sono que não veio, pela análise do que não jogamos contra a Chapecoense. Alguém conseguiu dormir?

Grupos mais exaltados chegaram ao extremo de colocar a culpa em Fábio, por aquele gol. Absurdo, bola desviada, em alta velocidade, o goleiro no meio, esperando. A bola muda de rumo e vai no canto superior. Só se ele tivesse um motor a jato para pular subindo até lá.

Ainda que fosse falha. Era o primeiro tempo. Poderíamos fazer 2×1, ou 3×1. Mas do jeito que estava, será que o jogo prorrogado até agora, a gente iria conseguir um gol?

O nosso bom Enderson Moreira e toda a comissão técnica, nos quais confiamos para a reconstrução também em campo, deveriam hoje ser castigados, juntamente com os jogadores. Levados para o salão de entrevistas, na Toca 2, assentados nas cadeiras onde ficam os jornalistas, iriam assistir por 10 vezes seguidas, em silêncio, um compacto do jogo de ontem, mas apenas com as jogadas em que o Cruzeiro tem a posse da bola. Aquelas em que o Fabio ou um zagueiro recuperam, mandam para um volante, que devolve para o lateral, que volta para outro volante do outro lado do campo, que retorna ao lateral, que atrasa ao zagueiro, retornando ao Fabio.

10 vezes, assistindo em silêncio, estas jogadas e a variação ocasional delas, que é a tentativa do passe aprofundado, tanto pela direita quanto pela esquerda, mas sempre com força excessiva na bola que, óbvio, sai para o fundo de campo, proporcionando novo tiro de meta ao adversário. De vez em quando um chute a gol que vai parar nas arquibancadas. Outro destaque, no compacto, a cobrança de faltas e de escanteios, visando espaços vazios… até de camisas azuis. Em um momento, três escanteios sucessivos foram dar lateral ao adversário, do outro lado do campo.

Podemos e temos de mudar. As batalhas pela frente serão mais difíceis e decisivas que a de ontem. Temos estrutura. Temos camisa. Temos 9 milhões de torcedores acreditando no Cruzeiro. Cabe agora à comissão técnica e aos jogadores acreditarem também, mostrando em campo jogadas ensaiadas que furem bloqueios; escanteios variados que desnorteiem a defesa, ora no primeiro pau, ora no segundo, ora fora da pequena área.

Qualquer coisa, por favor, que não seja escanteio nas mãos do goleiro.

Será que estamos pedindo muito?

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do Portal UAI.

All Comments