NESTA NOITE NOVA SESSÃO DE TORTURA

  • por em 29 de dezembro de 2020

Bruno Haddad/Cruzeiro/Flickr

9 milhões de corações azuis empurrando prá frente um time que joga prá trás!

Às 21.30 h, no Independência, vamos encarar o Cuiabá. Não sei se o verbo está bem empregado, porque encarar sugere cara a cara e no nosso caso, infelizmente, estamos nos acostumando a correr atrás. Ainda mais, após ser estabelecida oficialmente a nossa grande meta para este findante 2020 que é não cair para a Série C.

Tudo que se imaginava de luta até o fim, de sangue nos olhos e faca nos dentes enquanto houvesse um fiapo de esperança, esqueça! Jogue fora. A ordem é nos livrarmos deste incômodo 0, 001% de possibilidade de cairmos prá Série C. Depois, quando houver absolutos 100% de certeza de que não seremos rebaixados, aí, sim, vamos nos reunir, pensar, examinar com calma a próxima meta, caso o campeonato ainda esteja sendo disputado!

Como um castigo, que não merecemos, o mundo azul desmorona no coração de cada cruzeirense logo no Centenário. Tantas conquistas sonhadas, tantos fracassos a serem digeridos a cada rodada.

A batalha ainda não terminou e já foi anunciada a nossa rendição. Mesmo ante as procelas terríveis, casco avariado, a duras penas, a marujada azul jogava a suas esperanças na travessia do mar revolto até o porto da Série A. Recebeu, porém, ordens prá não lutar mais. Armas recolhidas, deve retornar ao cais B onde novo plano de navegação para 2021 será traçado.

Marujos, esperanças ao mar!

Com âncora, prá que não teimem em subir de novo!

BATE PAPO NO QUINTAL

Incrível a quantas vai a imaginação da torcida! Já tem gente comparando neste QUINTAL a “compra” do jogo amistoso, “revelada” por Benecy Queiroz, com a maracutaia histórica feita em favor do Atlético, recebendo duas vezes pelo terreno de Lourdes. Os dois episódios têm tanto em comum como Hitler e Madre Tereza de Calcutá. Espero não voltar ao tema depois de hoje: Benecy, após três horas desses bate papos de sábado à tarde, sem compromisso, inventou um jogo amistoso em que o goleiro era Vitor e Enio Andrade o técnico. Só neste enunciado estava claríssimo que se tratava de uma brincadeira, pois Vitor e Enio nunca atuaram juntos pelo Cruzeiro. Prá quem não havia percebido o rótulo – “Atenção, isto é uma piada! ”- Benecy complementa que o Cruzeiro, neste jogo amistoso, “comprou o juiz”.

Quem compra juiz em jogo amistoso?

Diferentemente, com o Atlético “vendendo” duas vezes a área de Lourdes, estão arquivadas no Tribunal de Justiça de Minas Gerais, à disposição de interessados, cumpridas as formalidades, as duas ações judiciais, comprovando as falcatruas. Primeiro, a Ação de Desapropriação, quando foi feita uma avaliação da área, “de pai pra filho”, muito acima do valor real. O Estado pagou imediatamente. Como não precisava do terreno nem sabia o que fazer com ele, cedeu por convênio à Prefeitura, que lá instalou postos de saúde, parques, serviços de atendimento público, etc. Outra crise financeira horrorosa do Atlético. Ameaças de penhora da sede, da invisível mas valiosíssima taça de Campeão do Gelo, e outras preciosidades. Ajustou-se, então, com o incentivo do Governador Hélio Garcia, que o Atlético entraria com a Ação de Retrocessão, baseada na falsa e absurda alegação de que os fins sociais da desapropriação não estavam sendo cumpridos. Houve determinação para que o Estado “entregasse os pontos”. Os recursos contrários foram do Ministério Público que não conseguiu fazer o Estado ganhar. Porque o Estado queria perder.

A Ação de Retrocessão, igualmente arquivada, está também à disposição dos interessados.

Por favor: não comparem esta maracutaia vergonhosa, urdida com dinheiro público, para beneficiar mais uma vez o Atlético, com a “compra” de juiz em jogo imaginário. Até fantasia tem limites!

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do Portal UAI.

All Comments