QUINTA EMOCIONANTE NO CAMPO E NA POLÍCIA

  • por em 20 de agosto de 2020

Vinnicius Silva/Cruzeiro/Flickr

No Mineirão, hoje à noite, toda a força da China Azul empurrando o time para mais uma vitória que nos colocará lá em cima na tabela. A Chapecoense, segundo time para muitos brasileiros, quer e merece, como nós, voltar à Série A.  Mas hoje, que nos perdoem os catarinenses, a noite será estrelada, outra vez.

Fora de campo, desde cedo, estouraram as primeiras bombas do Inquérito Policial já enviado ao Ministério Público, aguardando-se agora oferecimento de denúncia.

Vazaram detalhes escabrosos de transações que refletem a total falta de escrúpulo dos “administradores” do Cruzeiro. O que era apenas zum-zum-zum agora tem nomes, endereços e cifras. 

Por exemplo:

1) Cobertura em Nova Lima, adquirida por Itair Machado, avaliada em 6 milhões de reais. Pelo menos uma parte desse valor – R$3,7 milhões – foi quitada pelo empresário Cristiano Richard dos Santos Machado. Ele é do ramo de equipamento de proteção individual e fez “empréstimo” de 2 milhões de reais ao Cruzeiro, recebendo em garantia passe de jogadores da base, seguindo-se várias “alterações contratuais”, cada uma tornando mais nebuloso e esquisito o “negócio”…

Com as apurações policiais, o mistério está esclarecido, estarrecendo e revoltando quem tenha um mínimo de amor e respeito pelo pavilhão celeste.

2) Débito antigo de Itair Machado, então presidente do Ipatinga, com o então técnico Marcelo de Oliveira, foi finalmente pago em setembro de 2018, quando o Cruzeiro vendeu o lateral Mayke ao Palmeiras. Mesmo havendo o interesse expresso das duas diretorias e do jogador, no negócio, foi paga uma “intermediação” de 800 mil reais à empresa Jeo Rafah Sports, cujo sócio é filho do empresário Carlinhos Sabiá.  Cerca de 700 mil reais foram endereçados ao técnico, quitando a dívida de Itair.  Marcelo que não tem nada a ver com a forma pela qual o dinheiro chegou às suas mãos, confirmou o pagamento. Nem Carlinhos Sabiá, nem a empresa Jeo Raph Sports têm registro na CBF.

Outras revelações do mesmo nível são aguardadas.

O que mais machuca a alma cruzeirense é que as mesmas pessoas que assinaram essas negociações inacreditáveis, são as mesmas que firmaram contratos como o de Fred, Dodô, Rodriguinho e outros. Absurdos! Esses contratos têm de ter a sua validade contestada, pela falta de paridade de ônus e bônus entre as partes. Nos casos, os pseudos “representantes” do Cruzeiro eram, em verdade, co-sócios do outro contratante, colaborando por ação ou omissão para saquear o Clube.

Suprassumo da vergonha!

BATE PAPO NO QUINTAL

Acabo de receber, nesta manhã, em minha casa, a maravilhosa camisa que o Cruzeiro estreará nesta noite, contra a Chapecoense.

Apenas linda!  Só não divulgo porque foi pedido sigilo aos Sócios Diamante. Nota 10 para o Marketing azul!

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do Portal UAI.

All Comments