REFORMA DO ESTATUTO

  • por em 28 de outubro de 2020

Igor Sales/ Cruzeiro/Flickr

Não há no Cruzeiro tema tão comentado e tão pouco debatido quanto a reforma do Estatuto. Todo mundo reclama inovações, alguns apresentam sugestões pontuais, pouquíssimos querem debater. É essa falta de interesse objetivo que tem permitido nas últimas “reformas” casuísmos e maracutaias de toda espécie. Até a inclusão de parágrafo não votado já foi feita, obrigando ação judicial para anular o golpe.

Como o objetivo principal, embora sempre oculto, é o de beneficiar uma pessoa ou um grupo, momentaneamente no poder, o Estatuto já nasce precisando de reforma.

Em meu curto período como presidente interino do Cruzeiro nomeei uma comissão especial, presidida pelo Dr. Kris Bretas, para elaboração de um projeto de reforma. Pronto o trabalho, distribui cópias aos conselheiros, para exame e sugestões. Paralelamente, recebi do Dr. Luiz Carlos Rodrigues S. Filho um valioso anteprojeto de Estatuto, apresentando ideias avançadas de modernização.  Da mesma forma, distribui cópias aos conselheiros. Não houve tempo para entrar na etapa seguinte, que seria um estudo comparativo, artigo por artigo, tema por tema, dos dois trabalhos, com as sugestões recebidas, objetivando o aperfeiçoamento em um único projeto.

Assumindo o Conselho Deliberativo em maio último, a nova Mesa nomeou outra comissão para a reforma do Estatuto e ontem soltou mais uma pérola de seu vasto cartel:

“ O Estatuto novo, que será o melhor do Brasil, entra em vigor a partir de janeiro”

Como assim cara pálida?!

Vamos receber goela abaixo, sem conhecimento prévio, sem debates, “o novo Estatuto”? E os trabalhos anteriores, visando o mesmo objetivo? Não merecem um estudo comparativo?

Nas últimas duas semanas, o absurdo era a tentativa de realizar eleições de 70 conselheiros natos, em momento mais que inoportuno. Forçada a desistir, a Mesa inaugura logo outra polêmica ainda maior anunciando para janeiro a entrada em vigor do misterioso novo Estatuto, do qual ainda não se divulgou um artigo sequer. Em janeiro, lembre-se, teremos outros dirigentes do Conselho Deliberativo.

Se quer entrar para a História do Cruzeiro com um feito marcante, a atual Mesa não precisa se preocupar mais. Já entrou, transformando em coisa julgada, imexível e irrecorrível, a liminar que garantiu a volta dos conselheiros remunerados.

BATE PAPO NO QUINTAL

1. O tema Fabio movimentou o QUINTAL ontem. De aplaudir-se a fina e incisiva argumentação de um lado e de outro, por craques da escrita: Afonso Lemos, Geraldo, André Luiz, Charlei Roger, Neuber Lucio Soares e Luiz Antônio Lopes Barcelos. Contribuições valiosas para que em algum momento a gente possa se aproximar de um consenso.

2. O Paraná, nosso adversário de sexta-feira, goleou o Oeste por 4×0. Um leitor me telefona: tenho uma notícia boa e uma ruim. Qual quer primeiro? A ruim, respondo. – O atacante Bruno Gomes marcou 3 gols. E a boa? Ele levou o terceiro cartão amarelo e está suspenso!

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do Portal UAI.

All Comments