UMA OPÇÃO: PARTIR PRA CIMA OU PARTIR PRA CIMA!

  • por em 24 de setembro de 2020

Bruno Haddad/Cruzeiro/Flickr

A “vantagem” do fundo do poço é que você não pode descer mais. É subir ou subir.

Após o ruidoso protesto da torcida, tanto em Confins, na chegada de Maceió, quanto quarta-feira, na Toca – 2, vamos encarar o Avaí, amanhã.

Há consenso em que, por várias razões, estamos no fim de linha e precisamos reagir. A Nação Azul aguarda, no mínimo, a correção dos erros primários cometidos no último jogo, especialmente de posicionamento, e que o ataque nos surpreenda com jogadas ensaiadas resultando em gols. Pra quem já sofreu tanto, desde o fim do ano passado, não é pedir muito. 

O Avaí, na véspera do jogo, está afastando de 6 a 8 jogadores. Será vantagem ou desvantagem pra nós?  A resposta é perigosa, porque contra o CSA na lanterna, sem técnico efetivo e com um jogador expulso aos 15 do segundo tempo, a gente diminuiu para 2 x 1 e não fez o que qualquer time grande do mundo faria: amassar o adversário, virando o placar. Quem atropelou foram eles, marcando o terceiro. 

Este é o fundo do poço, do qual esperamos começar a sair amanhã. O Avaí não tem nada com a nossa crise, mas poderá pagar o pato.

Ney Franco sabe que será testado com rigor por 9 milhões de fanáticos e sinaliza um novo time. Na escalação e na postura. Vamos apoiar.

Tem de dar certo!

BATE PAPO NO QUINTAL

1.  Continuo recebendo pancadas injustas. Não tenho nada contra o Atlético. Só torço pra ele perder, sempre. Ou seja, faço o mesmo que fazem contra o Cruzeiro.  Tenho um filho atleticano. Advogado, autor de livros jurídicos, cursos em Lisboa e em Cambridge, na Inglaterra. Apesar de toda esta bagagem, torce para o nosso rival.  Como já disse, paguei psicólogo tentando recuperá-lo. Sem êxito.

2. O que, segundo as estatísticas de futebol, não comporta dúvida é o fato de que o Cruzeiro disparadamente tem mais títulos nacionais e internacionais do que o Atlético. Quem diz isto são os números. Em razão deles, o Cruzeiro É O MELHOR CLUBE BRASILEIRO DO SÉCULO 20.

3. Reconheço, porém, que, na difícil hora de cair para Série B, o Atlético deixou lição memorável, com a torcida cantando o hino do Clube. As circunstâncias com o Cruzeiro foram diferentes por causa da rapinagem que provocou a queda. Um grupo de vândalos depredou o Mineirão. Ponto para o Atlético.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do Portal UAI.

All Comments