VAMOS RECOMEÇAR DE VERDADE?

  • por em 17 de outubro de 2020

Gustavo Aleixo/Cruzeiro/Flickr

O Universo volta a conspirar a nosso favor!

Recebendo um “não” a cada convite para técnico e virando chacota internacional, o Cruzeiro de repente dá a volta por cima!

Esnobado até pelo treinador do Íbis, acerta com o campeão mundial Felipão e, de repente, tudo muda na Casa Azul. Saem: pessimismo, maus agouros, decepções. Entram esperança, confiança, certeza da reconstrução!

Mais uma vez, o conselheiro Pedro Lourenço aciona a chave que reverte o rumo das coisas!

Em 24 horas as previsões de tempestades viram céu de brigadeiro. Uma equipe técnica experiente, vencedora, aceita o convite e já no próximo jogo começa a repaginar o Cruzeiro.

Ontem, contra o Juventude, estranhamente optamos por jogar apenas no segundo tempo. No primeiro, nem um chute a gol e graças, de novo, a São Fabio que pegou pênalti, arrancamos o empate. No segundo, mostramos garra, vontade, ficando bem perto da vitória. Faltou um ajuste fino na pontaria e ele vai chegar, sem dúvida.

Em campo, certamente, o time vai se reajustar

Precisamos agora nos acertar fora, até porque se continuarem as mazelas, a bandidagem camuflada, o fingir que não estamos vendo, o caldo de novo vai entornar no campo.

O histórico de Felipão mostra aversão a esse estado de coisas. É a oportunidade de realmente limparmos a casa de entulhos que teimam em permanecer. Não se tampa sol com peneira. Não se acolhe, impunemente, quem cumpriu ao inverso o slogan de campanha de Wagner Pires: DO CRUZEIRO, TUDO; PARA O CRUZEIRO NADA.

BATE PAPO NO QUINTAL

Estou anotando as questões polêmicas jogadas neste QUINTAL para o devido retorno. Dentre elas, Benecy (de novo), nossos títulos, Maior de Minas, bullying de 50 anos.  Temas explosivos que bem revelam o grau de rivalidade que mantemos no estado. Sobram razões para os dois lados. Só os troféus é que estão de um lado só.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do Portal UAI.

All Comments