CARTA ABERTA A FELIPÃO

  • por em 18 de outubro de 2020

Paulo Filgueiras/EM/D.A Press

Seja bem-vindo!

Amanhã o senhor retorna a uma Casa que conhece bem. Está meio desarrumada. A gente não sabe até hoje as razões, mas moradores antigos tentaram acabar com ela.

Está em penosa reconstrução, o que torna importante a sua volta. Agradecemos a sua coragem em assumir o comando de um barco com rombo no casco e motor falhando. Só a grandeza de um Clube como o Cruzeiro e um coração valente como o seu, fariam acontecer o inimaginável: um técnico campeão do mundo, com tantas glórias no Brasileiro, descer do restrito pedestal dos heróis para vir comandar o vice lanterna da Série B.

Há desafios tão grandes que só os homens do tamanho deles conseguem vencer.

Tenha certeza que 9 milhões de corações azuis pulsam hoje pelo senhor. Uma poderosa corrente de pensamento positivo guarnecerá os seus passos e os seus atos, inspirando as suas decisões.

Não será fácil. Nossos jogadores, que são bons e poderiam estar brilhando em vários times da Série A, têm um “branco” quando estão com a bola nos pés e ficam sem saber o que fazer com ela. O resultado é sempre um passe pra ninguém, um chute que vai parar nas arquibancadas ou uma falta boba no marcador.  Com isto, o tempo vai sendo consumido quase pela metade. A outra metade, nossos zagueiros e laterais gastam trocando passes com os volantes, na intermediária. Isto vem consumindo também com a nossa paciência.  Entra jogo, sai jogo e este esquema “pra trás” não muda.

Temos certeza que o senhor dará um jeito nisto.

– Entra, a casa é sua!

BATE PAPO NO QUINTAL

Ao contrário do que pensam alguns, gosto muito da vibrante participação de atleticanos neste QUINTAL, espaço absolutamente democrático e contrário a qualquer tipo de censura. Liberdade de expressão, porém, não pode significar licença pra modificar a História.

A sabedoria popular, há séculos, proclama: contra fatos não há argumentos. Como já recordamos, hoje, o Atlético está líder da Série A e o Cruzeiro está vice lanterna da Série B. Estes são fatos.

Mas entre SER e ESTAR há uma diferença oceânica provocada pela nossa Sala de Troféus. Esta é a realidade que faz o Cruzeiro ser o Maior de Minas. Fora do protegido eixo Rio-São Paulo, o protagonismo também é nosso. Façam como nós: aceitem que dói menos.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do Portal UAI.

All Comments